Mais um mês do meu amor!!!

Eu estou completamente apaixonada pelo meu filho. Eu sempre fui, né? Mas agora estamos descobrindo essa criança, que antes era um bebê. Marido e eu estamos encantados, babando muito nossa cria.

Falador, carinhoso, beijoqueiro, nervosinho, educado, obediente (Deus conserve assim), ama musica, ama dançar... Ele está se tornando uma criança linda demais.

São quatro meses de escola que transformaram o Heitor em outra pessoa. Ele desenvolveu muito em todos os sentidos. Agora parece uma matraca, fala de tudo. Fala muita coisa errada ainda, as frases são curtas, mas já evoluiu muito em vista do que era. Agora é questão de tempo pra ele corrigir as palavrinhas e falar certinho.

Perdeu tanta roupa. Tô renovando o guarda roupa dele.

Continua comendo e dormindo bem. Aliás, começou a comer sozinho. Come pelo menos metade do prato sozinho e depois tenho que embocar (parece que ele cansa). A escola e eu estávamos trabalhando nisso e surtiu mesmo efeito.

Ele está ficando tão independente. Acho lindo esse desenvolvimento, acho lindo ver meu filho desabrochar dessa forma. Sempre bate saudade do meu bebezinho, mas a felicidade de ver ele crescer tão esperto e saudável é muito maior. Como mãe, acho que estou entrando na minha melhor fase. As coisas estão evoluindo, as noites estão melhores (o que me deixa mais descansada), acho que meus hormônios estabilizaram, tenho tempo só pra mim... Estou sentindo que finalmente tenho mais espaço. Posso respirar melhor. Não sei colocar em palavras.

Beijos e fiquem com a foto do meu gatão nas dunas de Cumbuco.


O Heitor já tinha viajado de avião... Dentro da minha barriga! Quando eu estava com 20 semanas de gestação nós fomos para Porto de Galinhas. Hoje a gente brinca que ele já viajou sim de avião. :D

Dessa vez o destino era Fortaleza/CE. Nunca contei aqui (aliás, tenho que fazer um post sobre minha pessoa), mas sou natural de Fortaleza. Mudei para São Paulo/SP aos oito anos, logo após a separação dos meus pais. Não estava planejando viajar esse ano para Fortal, mas as coisas acontecem e logo nos fazem mudar de plano. Ano passado descobrimos que o meu pai estava com câncer na garganta e há vinte anos eu não o via. De forma alguma, caso alguma coisa mais séria acontecesse, eu iria me perdoar por não ter ido visitá-lo. 

Então dia 19/04 decolamos. Me preparei bem para o tempo que iriamos passar no avião. Levei frutas picadas, biscoito água e sal, água, brinquedos, livros e tablet. Claro que na hora da decolagem e pouso ele ficou muito bravo, porque tinha que ficar sentado com o cinto afivelado. O restante do tempo foi muito tranquilo. Ele brincou e durante a metade do voo dormiu... Na ida e na volta.

Decidimos nos hospedar em Cumbuco. Alugamos um apartamento lindo pelo Airbnb e foi a melhor coisa! O Heitor se sentiu em casa. Preferimos a casa ao invés do hotel ou pousada, por isso mesmo: Liberdade para o Heitor. Sei que no Hotel tem bastante espaço e tals, mas a questão das refeições me preocupava bastante por ele não comer muito bem fora de casa. Foi a melhor decisão. Ele aproveitou muito o lugar. É grande, arejado e com uma vista linda. Todo dia tinha Kitesurf e o Heitor ficou encantando assistindo na varanda o pessoal praticar. Preparei nossas refeições, não tivemos problemas. Foi muito bom e até ele ter uma certa idade vamos optar por alugar apartamento ou casa.

Lagoa do Cauipe S2

A vista de todos os dias! 
Se quiserem experimentar o Airbnb, me falem e passo o link por e-mail para ganharem R$ 130,00 de desconto na primeira viagem.

Confesso que todos os meses que antecederam a viagem eu fiquei muito mal, com sentimento de não querer ir. Passavam coisas absurdas na minha cabeça, que me faziam tremer. Tudo isso porque iria voltar ao bairro onde passei os piores momentos da minha vida. E pior... Iria voltar a casa onde tudo aconteceu e iria levar meu filho e esposo comigo. O coração estava acelerado, mas quando Deus se faz presente na nossa vida tudo corre bem. E no final foi uma viagem abençoada. Reencontrei meu pai e estou em paz. 


Me toquei agora que só faltam 5 meses para aniversário de três anos! Tô chocada!

O que eu posso falar do meu filhote agora que está com dois anos e sete meses? Posso falar que é outra criança. Eu nunca pensei que a escolinha iria fazer tão bem pra ele.

Está falando praticamente tudo, inclusive solta algumas frases, ex: "carro do papai", "carro do vovô", "não vai descer", "dá agua". Ao invés de apontar ele já fala o que quer..."Descer", "Buci" (Subir), "Abre", "Da aí", "Pepis" (Peppa Pig), e tantas outras coisas como cores, números, letras... Já perdi a conta! haha E o mais legal de tudo: Ele canta! É muito fofo ver ele cantando!!! Eu e o marido ficamos feito bobos olhando!

Está super bem na escolinha. Participa de todas as atividades e também está fazendo Judô. Outro dia recebi um vídeo dele na aula... E gente! Que coisa mais linda!!! Tudo que o professor pede ele faz e faz direitinho. É muito fofo! Estou completamente encantada por essa criança.

Come de tudo! Ama carne, frango, peixe. Estamos tentando fazer ele comer sozinho. Está bem difícil, principalmente almoço e jantar, mas as frutas até que ele come bem sozinho.

Quanto ao sono, está ótimo! Dorme super bem. Ainda acorda no meio da madrugada para beber água. Depois acorda por volta das 5 pra mamar e vai até por volta das 8. Ainda dorme o soninho da tarde, chega exausto da escola.

Terminamos de fazer todos os exames que a Neuro pediu e dia 22/05 irei levar os resultados.

Estou amando essa fase. Lógico que ainda é muito trabalhoso, mas nem compara com o que já passei... kkkk :D

Volto logo mais pra falar na nossa viagem maravilhosa!

Beijos
Eu lembro que uma vez em um post eu reclamei de uma pessoa que me falou para investigar Autismo no Heitor. Na verdade essa pessoa é a minha mãe, inclusive ela nem sabe sobre a suspeita, pra ela seria complicado lidar. Aliás, ninguém sabe e queremos manter sigilo principalmente para os avós enquanto não tivermos um diagnóstico. Como já falei, os avós paternos tem um filho com atraso mental. Da forma que são apaixonado pelos Heitor ficariam sem chão se falássemos da suspeita pra eles.

Naquela época, em que escrevi o post, pensava que o Heitor teria que ter todos aquele sintomas típicos: Não olha nos olhos, não atende pelo nome, brinca com brinquedos de forma diferente, é fixado em formas/letras/números, etc. O que eu não sabia é que existem diferentes graus de autismo, que cada autista é único, que não precisa ter todos os sintomas (com um ou dois já se deve investigar), que existem outros sintomas além dos mais falados. Depois que comecei a pesquisar mesmo, vi que de fato ele tinha alguns sintomas. Anotei tudo que achava diferente e levei em todas as consultas com Neuro. Só que tivemos uma surpresa... Depois da escolinha, a maioria dos sintomas desapareceram e o desenvolvimento do Heitor deu um "Boom". Além de ter começado a falar várias coisas.

Os sintomas do Heitor:

- Não brinca com brinquedos: Brincava raramente. Hoje brinca a maioria do tempo.
- Observa a roda de carrinhos: Não acontece mais.
- Preferia observar outras crianças: Hoje já interage com outras crianças.
- Não gosta de nada na cabeça (ex. chapéu, óculos): Hoje ele usa "péu" e gosta de colocar "ócus".
- Não gosta de cortar cabelo: Ainda não gosta, mas com a distração certa ele deixa.
- Quando quer algo, ela nos puxa até o lugar ou objeto: Hoje ele aponta e balbucia, ou fala o nome do que quer, ex: dá água, avião (qdo quer o avião de brinquedo), carro (qdo quer entrar no carro).
- Em momentos de euforia balança as mãos na altura do rosto e anda nas pontas dos pés: Esse ainda é super nítido, acontece todos os dias.

Vejam, os sintomas na cor preta são os únicos existentes. Isso me deixa muito na duvida, mas de forma alguma vou parar a investigação, pois se mais para frente tivermos algum problema, nunca irei me perdoar. A sociedade também não perdoa, pois a pessoa que hoje diz ser uma exagero essa correria toda é a mesma pessoa que vai falar que a culpa é da mãe de não ter observado o filho antes, caso no futuro algo seja descoberto e for tarde demais.

Adianto pra vocês que é tudo muito frustrante. Essa parte de conseguir saber o que seu filho tem, se tem ou não Autismo é muito difícil e solitário. O que o plano de saúde não cobre é um absurdo de caro. Sem falar que é tudo muito demorado. Sei que virão longos meses pela frente, mas graças a Deus, apesar de me estressar e cansar as vezes, tenho momentos de muita paz e força que renovam minha fé. Creio que no fim dará tudo certo.

Os exames que a Neuro pediu já estão marcados e estou agilizando o começo das terapias. Venho registrar tudo aqui.

S2
Bom, mais uma consulta com outra Neuro.

A consulta foi dia 20/03, mas só consegui parar agora para escrever sobre. A clinica muito fofa, cheia de brinquedos e o Heitor se soltou muito.

De cara a médica disse que o Heitor não tem nada. Ela o examinou e ele interagiu super bem, fez as mesma coisas que na consulta anterior. Ela apenas passou uma exame e de audição e disse que ele tem sim um atraso, mas é questão de tempo e mais estimulo. Disse que deve continuar com a Fono e na escola, e depois devo levar o resultado do exame para ela. Apenas isso.

Então, até agora temos:

- Primeira Neuro: Disse que tem traços de TEA. Encaminhou para Psiquiatra.

- Psiquiatra: Disse que é questão de tempo e mais estimulo. Pediu Fono, Escola e diminuição de telas. Nova avaliação após dois meses (já venceu).

- Segunda Neuro: Disse que tem traços de TEA. Além de continuar na Fono, encaminhou para Terapia Ocupacional e Psicologo.

- Terceira Neuro: Disse que é questão de tempo e mais estimulo.

- Fono: Está observando, mas disse que tem certeza que com a escola e as sessões de Fono ele vai superar o atraso.

- Fono do SUS (essa fez uma visita aqui em casa junto com a Agente de Saúde): Também acha que é questão de tempo e mais estimulo. Disse que só viu o Heitor apenas uma vez, mas que não viu nenhum traço de TEA nele. Ele interage, entende tudo, olha nos olhos (profundamente, viu? rs). Marcou uma consulta no posto de saúde para dia 12/07.

- Escola: Está observando, mas também acredita que o Heitor tem seu próprio tempo além de precisar de mais estimulo. Sem falar que em dois meses de escola já é outra criança, então, pode ser que logo o cenário todo mude.

- Intuição materna: Mais tempo, mais escola, mais Fono, mais estimulo e muito mesmo tela. Era o que eu pensava... Mas algo me diz pra investigar e observando bem, dá pra ver que tem alguma coisa diferente. Principalmente devido algumas estereotipias que ele apresenta desde de muito pequeno. Mas os sinais eu deixarei para outro post.

Marido e eu decidimos continuar o acompanhamento com a segunda Neuro. Foi a única que encaminhou para uma equipe Multidisciplinar, que é tão importante nesse processo. Acredito que será de grande ajuda. Mal não vai fazer e nesse caso, prefiro pecar pelo excesso. Infelizmente é uma diagnostico difícil de se fazer, sem falar que leva muito tempo. Então, vou seguindo e contando tudo por aqui.

Nesse momento finalizei as buscas por Terapeuta Ocupacional e Psicologo que aplique o método ABA (Applied Behavior Analysis ou Análise Aplicada do Comportamento). Pelo plano de saúde eu não consigo, pq não existe referenciados, ainda mais o método ABA que é muito complexo e o plano não cobre mesmo. Quase pirei, me estressei demais por causa disso. Graças a Deus surgiram algumas opções e vamos dar andamento.

:)