Olá!!! Quanto tempo que não venho aqui... rsrs

Como foram de Natal? Aqui foi tudo bem, graças a Deus. O segundo Natal do meu amor.

E falando nele, dia 18/12 completou 15 meses. Isso aí, minha gente. Meu bichinho cresce acelerado e cada vez mais esperto. Cada dia que passa conseguimos ver o quanto ele evolui. Entende tudo, já tem muiiitas vontades, odeia escutar um não (e já se joga no chão!). Continua com um medo surreal de andar sozinho. Anda agarrado em todas as paredes, vai de um comodo para outro dessa forma. Solta de uma ponta do sofá e vai até a outra sozinho... Dá umas belas passadas. Mas não tem coragem de sair sozinho por aí. Estamos esperando o tempo dele e sempre estimulando.

Não tem palavra nova em seu vocabulário...haha Continua mamãe, papai, vovô, vovó, neném. Mas ele sabe se comunicar, viu? Mostra tudo o que quer e o que não quer.

Está com 6 dentes rasgando de uma só vez. Os primeiros molares inferior e superior esquerdo e direito. Também os caninos inferior e superior direito. Pensa num sorriso lindo! Cheio de dentes... 16 dentes pra ser mais exata. Por isso, o uso da Camomilina aqui é contínuo. Ajuda muito.

O sono está na mesma, acordando uma ou duas vezes na madrugada. Já não tira mais duas sonecas diurnas, agora é somente uma com duração de uma hora e meia ou duas horas.

A alimentação na mesma. Inclusive dia 21/12 fui em outro pediatra e ele me disse que se eu quiser que meu filho coma terei que desmamá-lo. Ah tá... Senta lá, querido.
Não vou desmamar mesmo e só pra confirmar conversei com as meninas do GVA e elas disseram que não há comprovação nenhuma de que o Heitor realmente irá comer depois do desmame. Inclusive existiram casos de desmame e a criança continuou sem comer. Imagina o desespero. Algumas meninas comentaram que os filhos também eram assim e de uma hora para outra começaram a comer. Então, bora continuar com o mamá e oferecendo sempre comida saudável. Uma hora vai, em nome de Jesus!

Graças a Deus o Heitor continua em um ritmo bom de crescimento e super saudável. Está com 81cm. Só não sei o peso, pois o menino fez um escândalo na hora de pesar e quase derrubou a balança. Vou ver se vou no postinho aqui perto para pesá-lo. Também tomou a vacina dos 15 meses. Uma picada em cada braço e uma em cada perna, além da gotinha na boca. Pensei que iria ser ruim, mas não deu febre... Ele só ficou enjoadinho no dia e agora tem um caroço na perninha esquerda que está cada vez menor.

Com meu menino é isso. Enquanto comemoro mais um mês de vida dele, meu coração também chora por uma perda que tivemos. Minha prima estava grávida de 38 semanas quando se internou para fazer a cesárea. A bebê nasceu e foi direto para UTI com pneumotórax. Ficou internada por cinco dias e faleceu. Foi um tremendo choque para todos, pois até então, estava tudo perfeitamente bem com a gestação. Eu fiquei muito mal... Chorei e não entendi o motivo. Me coloquei no lugar dela, da mãe... Que estava com tudo pronto. Planejou tudo com carinho, comprou enxoval, lavou e passou, fez o pré-natal e sonhava com sua bonequinha. Parece um sonho que acabou simplesmente do nada.

Meninas, acho que só volto ano que vem. Por isso, desejo um Feliz e Próspero ano novo pra vcs. Que nossos sonhos se realizem, que possamos alcançar nossos objetivos, que as tentantes tenham seu positivo, que as gestantes possam finalmente sentir o cheirinho de seus bebês, que as mamães tenham força e sabedoria e que nossos filhos tenham saúde pra dar e vender (e nós tb!)... No final é só isso que importa.

Beijos
Feliz 2017!
E aí que estou na correria para colocação do DIU Mirena. Tomei esta decisão há algum tempo e tive que sair procurando algum profissional que o colocasse totalmente pelo plano. Como estamos no final do ano as coisas estão bem difíceis. Muitos médicos saindo de férias e retornando somente Janeiro. Minha intenção era virar o ano já com o DIU, porém, não será possível. :(

Dia 06/12 irei fazer todos os preventivos e levar ao GO, aí depois marcaremos a data pra colocação. O detalhe é que a consulta está marcada para dia 10/01, então temos mais de um mês.

Optei por esse método devido a minha cabecinha esquecida.  Todo santo mês sobra umas 3 ou quatro pílulas na cartela. De forma alguma quero outra surpresa... Acho que desmaio! Nunca falei isso, mas lá vai: o Heitor tem grandes chances de ser filho único. Não gosto de falar muito, pois vai que daqui a pouco eu decido que quero outro sim. Melhor não espalhar, né? Mas o que pega mesmo é que não quero outro agora. Se eu tiver um segundinho(a) quero planejar, quero tentar. De qualquer forma, eu e o marido decidimos que depois do niver de dois anos do Heitor iremos sentar e conversar sério pra ver como estaremos em relação a isso. Se estaremos preparados ou não. Até lá quero estar totalmente segura, sem correr riscos.

Sobre o Mirena...


Não quero injeção e tb não quero o Evra novamente. Quero algo prático, por isso, achei a melhor a opção. Tenho duas amigas que usam e adoram! Assim que tudo estiver certo, venho contar pra vocês.

Beijos
E como sempre, o tempo passando em um piscar de olhos. Para tudo!

Meu bbzão está cada dia mais esperto. Sobre andar, está um pouco mais corajoso, mas nada de sair andando. Passa de um móvel para outro, anda segurando nas paredes, fica em pé por um longo tempo sem apoio e só. Estou muito tranquila em relação a isso, exceto, as outras pessoas. Até de "molenga" já chamaram o Heitor. Eu cortei mesmo! Povinho sem noção.

Aprendeu uma forma nova de se locomover: Arrastando o bumbum no chão! hahaha Super engraçado, vai pra todo canto. Começou a falar vovó e continua balbuciando bastante. Também rasgaram os dois caninos, o superior e inferior esquerdo. O sorriso tá cada vez mais completo. Eu morro por esse sorriso! rsrs

A alimentação está na mesma. Muito peito, muita água, suco, bocadinho de fruta, quase nada de comida salgada. Eu continuo bem triste com isso, mas estou melhor. Afinal, ele continua crescendo e ganhando o peso. Aí me pergunto: Até quando?

O sono... Poxa, nem acredito que cheguei nessa fase. O Heitor está acordando no máximo duas vezes durante a noite. Nos piores dias. Isso melhorou muito! Não posso mais reclamar das minhas noites e nem dos meus dias, pois as sonecas estão super controladas. Aliás, ele está em transição de duas sonecas para uma soneca diurna. Esse papo de rotina é super verdadeiro. Bebês precisam de uma rotina, o mais rígida possível (nem sempre é possível). A partir disso quase tudo melhora.

Essa fase se é muito boa. Eu fico boba de saber que ele realmente entende tudo. Já tem suas vontades e não aceita escutar NÃO. Chora, esperneia... Mas sou firme. Não é não e acabou. É difícil, mas seguimos firmes.

Agora, a sessão desabafo...

Esses dias tenho andando bem nervosa, chateada, triste e muito estressada. Estressada a ponto das mãos ficarem tremulas e derrubar as coisas o tempo todo. Ando muito frustrada com algumas situações e isso anda me fazendo muito mal. É impressionante como depois que vc vira mãe as pessoas te julgam. Cada decisão sua é levada ao tribunal dos intrometidos. Tudo, absolutamente tudo é culpa sua. Escutei da minha mãe que a culpa do Heitor não comer é minha. Escutei de uma amiga (que é mãe e deveria ter mais empatia) que a culpa é minha, pois ela começou a dar comida a filha dela com 3 meses batida e peneirada (oi?). Graças a Deus eu estava bem e não quis discutir. Mas o marido não disfarçou a cara. Depois ela meio que disfarçou, mas já era.

Ando me analisando muito e percebi que mudei muito depois que o Heitor nasceu. Fico me perguntando se nasci mesmo para ser mãe. Larguei tudo para exercer somente isso e não estou conseguindo fazer da forma correta. Será mesmo que tomei a decisão certa? Será que eu deveria ter retornado ao trabalho e tudo estaria indo bem?  Nunca vou saber. O que sei mesmo é que não é fácil viver somente (praticamente) em função de uma pessoinha que requer tantos cuidados. Acho que preciso de um tempo só pra mim. De preferência só pra mim com o marido...haha

O cansaço não é só físico. É emocional também. Mas isso não importa, né? Mãe não tem esse direito. É tudo frescura.

O que resta é seguir, exausta e mesmo que pareça que não existe força.


Risca a cerveja, pois não bebo! hahaha



Em Junho procurei uma dermatologista pra me ajudar com a queda de cabelo absurda. O Heitor nasceu e eu estava me achando com o cabelo lindíssimo que a gestação me presenteou. Eis que assim que ele completou três meses, ao tomar banho, de uma hora para outra, senti as mechas de cabelo deslizando pelo meu corpo. Fiquei muito assustada, mesmo sabendo que aquilo poderia acontecer. Li que o normal seria parar  após 6 meses do parto, só que não parou e caia cada vez mais.

Fiz exames de sangue (tudo normal!) e até um exame chamado Tricograma Capilar que deu uma leve alteração. A médica me explicou que era devido a amamentação e que continuaria assim enquanto eu amamentasse. Devido a isso, não poderia fazer tratamentos com produtos muito fortes, então, ela me receitou um shampoo que ajudaria muito. Eu só não sabia que ajudaria tanto! :)


Depois de quatro meses usando o Vichy Dercos Energizante posso dizer que tudo voltou ao normal!!! Obviamente ainda cai cabelo, tem que cair, mas nada de mechas caindo do nada com uma simples passada de mão... Viva!!!

O shampoo é caro, mas vale cada centavo e eu não fico mais sem. Vou continuar com o investimento. Ano que vem vou fazer um teste e ver se já normalizou ou se ainda preciso do shampoo.

Super indico, meninas!

Beijos




Ontem meu pituquinho completou 13 meses! E que fase gostosa essa. Agora ele interage muito com a gente e realmente entende tudo que falamos. Sem falar nas imitações, nas gracinhas e nas gargalhadas.

Por enquanto não está andando sozinho. Arrisca umas belas passadas sem apoio, fica em pé sozinho por muito tempo segurando algo, mas andar que é bom ainda não. Há algumas semanas levou um belo tombo, caiu de cara no Rack da sala. Sangrou e ele chorou muito. Acalmou no peito e depois disso ficou super medroso... Isso me deixa super chateada! E fico querendo voltar no tempo para conseguir pegá-lo. Poxa, ele estava super bem. Estava quase, faltava pouco pra andar e isso acontece. :/

Sobre os dentes, ainda continua com 8. A alimentação a mesma coisa... LM em LD. Um suquinho ali, um bocado de fruta aqui, muita água e assim seguimos. O sono é algo que melhorou muito. Ainda acorda de madrugada, mas bem menos que antes. E na realidade parei de contar. Chega, cansei e aceitei. Percebi que o que me fazia sofrer era contar e não aceitar as acordadas dele. Depois que trabalhei isso tudo melhorou, até mesmo o sono dele.

Está falando papa, mama, neném e balbuciando muuuiiitooo... Acho que logo vem palavra nova por aí.

Agora quero contar como foram os exames, o oftalmo e o dentista.

Exames de sangue, fezes e urina: Como comentei, tive que fazer o jejum de 6 horas para o Heitor. A sua última mamada foi as 23h00 do dia 29/09 e dia 30/09 ele acordou as 01h00 da madruga. Mamou e dormiu. Depois acordou as 2:33 e eu já não podia dar mamar. Ele chorou, marido pegou e ele chorou mais. Peguei e ele continuou chorando, dei água, coloquei música, ninei e ele acabou despertando de vez querendo peito. Não deu outra... Liguei a TV e ficamos assistindo Peppa Pig. Isso já faltava pouco para o laboratório abrir e umas 5h45 saímos de casa. Estava vazio, é claro. Graças a Deus a enfermeira é super boa. Já colocou o coletor de urina e depois partiu para coletar o sangue. Acertou de primeira a veia e foi muito rápido. O Heitor foi direto para o peito e já tinha feito xixi. As amostras de fezes levei em outro dia. Os resultados estão normais, graças a Deus. Tudo certo com meu tesouro.

Oftalmo: Gente, encontrei uma oftalmo maravilhosa. Paciente e carinhosa. Examinou o Heitor com muita calma e está tudo perfeito com a visão dele. Infelizmente teve que dilatar pra conseguir examinar melhor, mas ele não apresentou nenhum incomodo com isso, apenas na hora de pingar o colírio que chorou um pouco.

Dentista: Outra pessoa maravilhosa. Logo que entramos na sala, ela sentou comigo e me perguntou sobre a gestação, o parto, como ele é, os nossos hábitos e foi anotando. O consultório é super simpático e ela usa um jaleco colorido. Uma calma e paciência para examinar, mesmo com ele chorando... haha Falou que estava tudo perfeito, orientou sobre a escovação (já fazemos desde os seis meses) e pediu para retornar depois.

Pediatra: Hoje foi dia de pediatra. Heitor está com 10300kg e 78,5cm. Levei os exames e contei como foram as consultas. Ela falou que ele está ótimo e disse que meu leite deve ser estudado, pois sustenta ele muito bem, já que ele tem 13 meses! hahaha As consultas agora são trimestrais. Não sei se continuo com essa Pediatra ou se procuro outros. Nunca fui muito com o jeito dela. Não é nada detalhista e tem paciência zero. Infelizmente fico comparando com a antiga pediatra do Heitor que era maravilhosa. Como ela não atende o convênio do marido e a consulta particular dela é R$ 400,00 acabamos a perdendo. :( Sobre as vacinas que comentei no outro post, eu e o marido decidimos esperar um pouco, pois são muito caras e são três doses de cada. Assim que o AP sair, iremos ver isso. Agora estamos aguardando as chaves e não sabemos que gastos teremos ainda.

Por enquanto é isso.
E caso queiram a indicação da Oftalmo e Dentista na Zona Sul de São Paulo, me avisem que passo o contato. São maravilhosas! :)


Olha, com a maternidade a gente descobre que existe cada coisa! hahaha

Nas minhas pesquisas durante o meu desespero para ajudar o Heitor a dormir melhor me deparei com isso: Janelas de sono.

Vi que era algo que eu realmente não estava tentando e nem respeitando. Também, como eu poderia imaginar que isso existia? Na hora decidi tentar. E não é que deu certo! Eu estava colocando o Heitor para dormir muito antes ou muito depois das janelas. O resultado era um bebê irritado, com sonecas curtas e uma mãe super estressada. Comecei a seguir a tabelinha e foi sucesso total. É impressionante como ele começa a dar sinais de sono no tempo certinho. Aí é só ninar e ele adormece. \o/

Por enquando, o Heitor faz duas sonecas de 1 hora (as vezes de duas horas, mas aí dorme menos na segunda soneca ou vice-versa). Isso é uma vitória, lembrando que ele dormir uns 10 ou 15 minutos durante as sonecas. 

Aqui, a tabelinha que encontrei no blog Mil Dicas de Mãe.

 A tabela dos intervalos de sono é uma boa referência.
Na tabela a seguir, apresento a vocês uma ideia da janela de sono ideal, de acordo com a idade do bebê. Não se assuste se seu bebê fica mais tempo acordado. Observe se ele fica bem, se a alimentação é adequada e se o tempo de sono dele é dentro do esperado para a idade (se a resposta for positiva, não há motivo para preocupação).
Até 2 meses – 45 minutos à 1 hora no máximo
3 meses – 1 hora e 30 minutos no máximo
4 meses –  1 hora e 45 minutos
5 meses – 2 horas no máximo
6 meses – 2 horas e 30 minutos no máximo
7 meses – 2 horas e 45 minutos
8 e 9 meses – 3 horas e 30 minutos
1 ano – 4 horas (quando faz 2 sonecas) e 6 horas quando faz apenas 1 soneca
Dos 15 aos 18 meses – 6 horas e 30 minutos

Mamães, se nunca tentaram isso, tentem agora. Realmente ajuda muito!

Beijos e até a próxima.








Se meu erro é amar demais, sou feliz por receber como penalidade a tua paz. Se meu colo é teu vício, tua calma é meu princípio.

Se eu não te ensinei a dormir sozinho, foi porque escolhi ouvir teu suspiro no meu peito ao invés de assistir teu choro no berço.

Se eu não resisti te abraçar ao acordar, é porque teu cheirinho bom me faz sonhar.

Se meu calor te alimenta, é porque te acolho em meu colo.

Se meu peito te acalma, são tuas batidas que me amparam.

Desculpe, é que estou aprendendo a ser mãe, e minhas ações são movidas pelo amor e a vontade que tenho de ficar pertinho.

Talvez seja culpa da minha inexperiência no exercício desse ofício.

Não importa, pois, eu quero para sempre essa paz que só você me traz.

Minha convicção de que somos felizes assim, é certeira em mim! Afinal, quando você dorme à noite inteira, eu acordo sem eira.

Autoria: Carol Arruda Mello
Meninas, hoje quero contar pra vcs como consegui me "recuperar" da flacidez do pós-parto.

Acho que não é novidade, depois que o baby nasce a barriga não volta rapidinho para lugar, né? Acredito que para algumas mulheres volta sim, mas comigo não. Achei bem esquisito. Murchou mesmo e ficou um pouco grande ainda. Quando eu tocava a pele estava bem flácida, molenga, sei lá...hahaha Dava a maior vergonha do marido e era ele que estava me ajudando na maternidade. Sinceramente eu não encuquei com isso, eu sabia que as coisas iriam voltar ao normal em algum momento, mas que dava vergonha... Dava sim! Eu já estava com a cinta dentro da mala, mas só fui colocar em casa. Fiquei morrendo de medo de me machucar.

Cheguei em casa e taquei a cinta, mas senti falta de alguma coisa pra ajudar a firmar novamente a pele. Comecei a pesquisar e vi o quanto é caro esses cremes firmadores, até que achei um da Nivea e resolvi testar. A combinação que deu certo comigo foi Cinta (Só tirava para dormir) + Creme Firmador Nivea.

                                           

O creme é super em conta e eu amei o resultado. Ele deixa a pele super macia e cheirosa. Passo não só na barriga, mas em todo corpo. Até o marido sempre elogia a maciez da pele. A Cinta é a pós-cirúrgica Lucitex Sustent (769) também é ótima e até hoje uso de vez em quando. Depois de um mês já estava quase 100%.  Hoje, após 1 ano, já está normal. É claro que ainda tenho aquela pochete básica e alguma estrias fininhas, mas a pela já está firme novamente e a barriga no devido lugar... rsrs

E vcs, mamães? Como foi por aí?
E as tentantes/gestantes já estão se preparando? rsrs

Beijos
E dia 21/09 foi dia de Pediatra. Mesmo sem comer o Heitor continua subindo na curva. Pesa 10150kg (engordou 200 gramas. Um pouco melhor, né?) e está com 78 cm. Explicamos que ainda está sem se alimentar, aceita somente água e suco de laranja, além de LM. Li um texto no Blog do GVA que me ajudou muito e acabou me confortando. Inclusive, tentantes, gestantes e mamães, devorem esse blog e entrem no grupo do Face. O conteúdo é maravilhoso e nos piores momentos de confusão da minha vida materna foi o GVA que me salvou.

Agora voltando... Saímos de lá com uma guia de exames de sangue, fezes e urina. Também nos deu um encaminhamento para Odontopediatra e Oftalmo. Esses eu já marquei, mas estou enrolando para fazer o exame de sangue. Pensa numa pessoa morrendo de medo. E a Dra ainda disse que tem que fazer jejum de 6 horas. Eu quase cai pra trás. Essa criança já não come e vou ter que deixar sem peito por 6 horas? Já combinei o esquema com meu marido: Vamos sair de casa as 6 horas da manhã para fazer o exame, que é quando o laboratório abre. Se o Heitor acordar de madrugada (certeza que vai, né) o marido acalenta e eu fico longe, pois assim ele não sente meu cheiro e vai ficar mais tranquilo pra ficar sem o peito. Ooouuu... Ele vai chorar muito querendo o peito. Só Deus sabe o que será.

Também pediu para dar mais duas vacinas no particular, já que o SUS não fornece. Trata-se da Meningocócica ACWY e B. O lugar mais barato que achei aqui em São Paulo/SP foi no Lavoisier, preço de R$ 828,00 as duas (uma dose de cada). Pensa só! Quando eu ainda trabalhava o meu convênio cobria todas as vacinas, mas o convênio do marido não cobre. O jeito é desembolsar. 


Mamães, aceito dicas de como ajudar o baby no momento do exame de sangue. Tô morrendo de medo. Me contem, como foi por aí?

Beijos


Meninas, hoje recebi algumas fotos da festinha e compartilho com vcs. 

Não contratamos fotografo, é que um amigo do marido tem câmera profissional e tirou muitas fotos para nós.

Vejam só!

Aqui as Mini Cúpulas com trufas que foram feitas pela minha mãe. Comprei no Mercado Livre.

Amei esse nome em dourado!

A mesa.

As latinhas que comprei no Elo7. Coloquei somente as balinhas em casa.

Tubetes também comprados no Elo7.

Cupcake de chocolate com cobertura de Ganache. Feitos por mim, cobertos pelo marido... rsrs 
A saia de cupcake em formato de coroa comprei no Mercado Livre.

Mousse de maracuja feitos pela minha mãe.

Fico devendo foto nossa... Quem sabe um dia. ;) Prometo que vou postar alguma foto do ensaio de 1 ano do Heitor.
#12meses de Heitor

Gente, não acredito que já faz um ano que o amor da minha vida nasceu! Um ano que o segurei em meus braços, que pude contemplar aqueles olhos azuis me olhando tão profundamente. Tantas coisas aconteceram, tantas coisas aprendi, tantas coisas eu vivi com esse pituquinho! Tenho tanta saudade daquele bebê que tirava sonecas curtinhas (kkkk), que não se entretinha com nada, que só queria peito... Tenho muita saudade e dói saber que nunca mais vou segurar aquele bebê novamente. Sei que daqui para frente ele ficará cada vez mais esperto, mais independente e aqui começa a minha parte de educar de verdade, que na minha opinião, é o mais difícil. Só peço muita sabedoria e que Deus me conceda forças.

Com 12 meses esse menino já demonstra toda suas vontades. Interage super bem, mesmo não falando. Mostra o que quer e o que não quer. Agora está naquela fase de morder quando é contrariado. É sempre repreendido firmemente e chora quando isso acontece, mas ele tem que entender que isso não pode, mesmo sendo só uma fase. Ele anda de um colo para o outro, mas para andar pela casa precisa estar segurando nosso dedinho...kkk Depois que andou pela primeira vez ele caiu e bateu a cabecinha, depois disso ficou muito inseguro. Aos poucos tem melhorado.

Ainda continua chicletinho, acho até que está mais que o normal. Não quer saber de mais ninguém e não pode me ver que já pula pro meu colo.

Hoje tomou as vacinas de um ano (Pneumocócica / Tríplice viral / Meningococo C). Uma picadinha no bracinho esquerdo e uma picadinha em cada perna. Chorou muito, mas nada que um colinho e um cachorrinho na rua não fizesse melhorar.

Em relação aos dentes não tenho nenhuma novidade. Por enquanto continua com 8 dentinhos, mas acredito que logo teremos novidade.

Festa de 1 aninho

Ontem, dia 18/09, fizemos a festinha do Heitor. Como falei aqui, o tema foi Realeza Menino. Mudei as cores para Azul Marinho, Branco e Dourado. Antes era Azul Bebê. Encomendei no Elo7 os personalizados que foram 20 tubetes e 20 latinhas. Além destes, na mesa tinha mais 19 cupcakes, 10 mini cúpulas douradas com trufas dentro e 20 mousse de maracujá. Os doces foram feitos por mim e pela minha mãe. A lembrancinha das crianças era uma caneca personalizada que também comprei no Elo7.

Servimos salgados fritos e assadas, refrigerantes e o bolo que foi um sucesso! Era de chocolate com cobertura de brigadeiro e foi feito pela minha mãe. Fiquei triste pois esquecemos de por os sucos nas mesa, os brigadeiros e os beijinhos... Aff, que raiva! Infelizmente tive que escutar que eu e o marido eramos dois cabeças ocas. A pessoa ainda fez questão de falar alto, na frente de muita gente que ainda estava na festa. Sabem que falou isso? Adivinhem! rsrs A palavra começa com S. Engraçado que pra ajudar não aparece ninguém, né? Mas pra criticar a fila é enorme. Enfim...

O Heitor se comportou super bem. Como estava quente, colocamos uma roupa fresquinha nele. Olha o Lookinho:

As cores não combinam muito na foto, mas pessoalmente ficou perfeito.

Acho que valeu super a pena, pois o Heitor ganhou muitos presentes legais. Ficamos super felizes com isso. Mas o motivo da nossa maior felicidade é que vieram 86% dos convidados. Foi muito amor e carinho que recebemos dos nossos amigos e família. Os que não vieram realmente tiveram imprevistos chatinhos e logos nos avisaram. Foi muito bom. A festa acabou e eu já estava pensando na próxima! rsrs

Agora, deixo com vocês a música que escolhemos para retrospectiva do Heitor. Ele ama e eu choro cada vez que canto pra ele.


Há algum tempo despertei o desejo de levar o Heitor ao Homeopata. Li relatos maravilhosos de mães que levaram os filhos e fiquei curiosa. Vai que os homeopáticos ajudem nas questões da alimentação e sono.

Já tentei de tudo e ainda tento. Em relação ao sono, o Heitor já tem rotina de dia e de noite. A única coisa que não fiz é ensinar a dormir sozinho. Eu tentei, mas ele chorou muito. Chorou de soluçar. E olha que eu não deixei chorando no berço. Se ele chorava eu pegava, acalmava no colo e já colocava de novo no berço. Mas a cada colocada no berço o menino chorava cada vez mais sofrido. Passei três dias assim, mas meu coração não aguentou, o marido já estava desesperado e eu dei um basta. Dica: Se quiserem, ensinem seus bebês a dormirem sozinhos ainda novinhos, pois fica muito difícil depois.

Já em relação a alimentação estamos tentando o BLW, mas nenhuma evolução até agora.

A consulta foi dia 02/09. Contei tudinho para a Dra. Ela perguntou sobre o temperamento dele,  examinou e falou que ele está muito bem. Por mais que sono é meia boca e  que ele não se alimente, o LM está dando conta de tudo. Acabou não receitando nada de homeopáticos (pra minha frustração), falou pra tentar sair mais com ele e tentar fazer ele conviver mais com outros bebês. Falei que isso seria difícil, pois não temos mais bebês na família e os bebês da vizinhança/amigos vão para escolinha. Temos apenas o FDS pra isso. Vamos tentar, né?

E aí que continuamos na mesma. Todo santo dia me pergunto quando isso irá melhorar. Parece que ele nunca irá comer, parece que nunca dormirá decentemente. Gente, como isso é sofrido, dói no coração. A frustração é enorme.

O que nos resta é seguir tentando, esperando o dia em que as coisas irão mudar.

💜

E aí que você está brincando com seu filho e ele andando agarrado nas banquetas do quarto, você sem muita fé começa a chamar: Vem, Heitor! Vem para a mamãe!

Então, ele vem e o inesperado acontece... Ele se solta da banqueta e anda na direção do seu abraço.

Hoje, 02/09/2016, as 18:58 o Heitor deu seu primeiro passo. Livre, leve e solto!

Mamãe chorou e ficou anestesiada. Ver um filho crescer e se desenvolver é a coisa mais mágica que pode existir.

Obrigada, Senhor!

Achei tão lindo e verdadeiro que resolvi compartilhar aqui.

____________________________________

Thaís Vilarinho, 37 anos, é mãe do Matheus, de 9 anos, e do Thomás, de 6 anos, fonoaudióloga e idealizadora do Instagram Mãe Fora da Caixa. Aqui, ela fala sobre vários aspectos da maternidade e dedica uma carta às grávidas.

"Olá, minha querida,

A primeira coisa que eu tenho para dizer é: você é muito mais forte do que imagina! Nunca se esqueça disso. Você está aí, prestes a ter o seu bebê, já comprou todos os apetrechos, leu muito a respeito e está ansiosa para tê-lo em seus braços, não é mesmo? Gostaria que, através dessa carta, você pudesse vivenciar a minha experiência: meus erros, acertos, medos e entender como consegui ter alguma segurança nessa tal de maternidade. Além disso, queria poder te dar colo nas horas difíceis e rir com você nos momentos de alegria, mas na vida aprendemos e evoluímos somente com as nossas próprias experiências - não tem outro caminho. Por isso, se com essa carta eu conseguir fazer com que você perceba a força que tem e também entenda um pouco sobre a tão falada maternidade real, já vou me sentir muito feliz.

Queria que você me escutasse, mesmo que eu não seja uma autora de um livro incrível sobre dicas e ensinamentos para mães que já vendeu milhares de exemplares. Gostaria que me ouvisse e me desse crédito, mesmo eu sendo somente uma mãe que gostaria de ter lido isso quando estava grávida. Sinto que já te conheço, que sei exatamente como se sente agora: você anda lendo livros, escutando histórias sobre a maternidade e reparando em mães - naquelas que te inspiram, lógico, mas também naquelas 'doidas' que andam com seus filhos dando chiliques.Também sei sobre os seus pensamentos, que são: "Nossa, que mãe é essa que não consegue controlar o próprio filho? Que mulher estressada! Será que ela não leu o livro que eu estou lendo? Aquele que fala tanto sobre limites e birra...".

Então, é exatamente aí que eu queria chegar. A maternidade não é da maneira que imaginamos quando estamos grávidas. E posso te dizer? O mundo é realmente muito cruel, porque além de não nos dizer a verdade sobre ser mãe, fantasia algo de uma maneira tão linda que, quando nos deparamos com a realidade, sentimos muita decepção. Você deve estar pensando: "Que horror, ela deve ser uma mãe infeliz". E eu te digo: não, não é nada disso. O que acontece é que após alguns anos nessa função, consigo dizer verdades que lá atrás não falaria de maneira alguma por me culpar de sentir o que a maternidade realmente me fez sentir e não o que o mundo dizia que eu sentiria.

Minha querida, a maternidade vai vir com um turbilhão de sentimentos que você não pode imaginar. Você vai sentir coisas maravilhosas, é claro, mas também vai ter sentimentos que não são nada maravilhosos. Sim, a realidade vem à tona e, aos poucos, a fantasia que a sociedade e a mídia criam sobre ser mãe desmorona em cima da nossa cabeça. E o pior: no momento em que estamos mais frágeis!

Quando você não estiver feliz, vai sentir culpa. Sim, uma culpa sem fim. Você vai sentir o peso gigante da responsabilidade de ser mãe nas costas e depois da maternidade 'perfeita' ter desmoronado na sua cabeça. Além disso, por mais que o seu parceiro seja participativo e cumpra com o papel dele, muitas vezes você vai se sentir só - mais só do que jamais se sentiu. Os filhos levam anos para se tornarem companhias para a gente. E mesmo que você tenha pessoas que te ajudem, quando o calo apertar é você que vai resolver. Já escutou aquela frase "Quem pariu Mateus que o embale"? É bem isso.

Você vai se sentir doando, doando, doando e no dia seguinte vai ter que se doar muito mais. Vai ter um sono sem fim e um desejo imenso de dormir a quantidade de horas que dormia antes de ser mãe. Você vai sentir muito medo de não estar fazendo a coisa certa. Vai se preocupar demais. Também vai se achar um pouco E.T na hora que sair na rua. Vai sentir falta da liberdade que tinha antes de ser mãe, mas isso vai melhorar - eu prometo! Vai sentir um desejo enorme de ser exemplar no papel de mãe e se não perceber logo que isso é uma tremenda furada, vai se frustrar muito e novamente vai sentir culpa. Por isso, por favor, me escute: não existe mãe perfeita. Entenda: você é humana e vai errar muito no seu papel. E, além de tudo isso, você vai sentir uma insegurança tão grande que vai achar que não é capaz. Mas lembra da primeira frase da carta? Então, acredite em mim!

E se ninguém te falou, você vai ficar menstruada por mais ou menos um mês após ganhar o seu bebê (juro que só fiquei sabendo disso no hospital). Porém, misturado com tudo isso, você vai sentir uma alegria sem fim de ver a carinha do seu filho - uma realização deliciosa de poder ver seus pais se tornarem avós e seus avós se tornarem bisavós. Vai se emocionar com o crescimento e com cada coisa nova que o seu pequeno fizer.

Quando o seu filho crescer um pouco, você vai perceber que não aproveitou nem 20% das dicas do livro mais lido sobre "ser mãe" e que a sua força e o seu sexto sentido foram e continuam sendo os seus principais parceiros nessa caminhada chamada maternidade. E quando o seu filho fizer birra em um lugar público e você perceber que tem uma grávida te observando, vai saber exatamente o que está passando pela cabeça dela e imediatamente vai pensar:"Ah, se ela soubesse como é ser mãe na prática... Um dia ela entenderá". A maternidade vai fazer você se colocar no lugar do outro, se sentir solidária com as mães que você tinha como doidas e vai te humanizar da maneira mais profunda que existe. E o maior segredo que eu posso te contar desse mundo é: não tem fórmula, cada mãe faz o melhor que pode!".

Retirado de MdeMulher.

Pois é, relatei aqui a minha decisão, mas não dei nenhuma previsão de quando iria retornar, certo? E se eu falar que não tenho previsão? Kkkk Quer dizer, tenho, mas não tenho... hahaha
Tenho algumas coisas em mente, mas de qualquer forma, só retorno a qualquer trabalho no começo de 2018, se não for necessário voltar antes, é claro.

Gente, mas nem consigo pensar em deixar o Heitor... É uma coisa muito maluca, não me vejo longe dele por muito tempo. Por isso, converso muito com o marido sobre algumas possibilidades e muito dificilmente volto a trabalhar 8 horas por dia. Quem mora em São Paulo sabe que, dependendo da região, pega um trânsito horrível e nos melhores dias você passa 10 horas longe de casa, tem dias que são 12 horas ou até mais. Sem falar nos dias que sai tarde do trabalho. Só entro nessa novamente em caso de necessidade, caso contrário, quero nem saber.

Estamos analisando com calma o que vou fazer, já que a nossa prioridade é o Heitor. Temos algumas opções.

- negócio próprio
- empregos de meio período
- home office (agora pintou uma moda de cursos para mães trabalhar em casa, mas não confio não. Vcs conhecem alguém que se arriscou? Me contem, please)

Deixa eu só desabafar um pouco. Tenho uma amiga que acabou de se tornar Diretora da Mary Kay. Fiquei feliz por ela, é claro. Há algum tempo atrás ela me convidou para ser consultora e eu recusei, pois realmente quero me dedicar exclusivamente ao Heitor, caso contrário, não teria pedido demissão. Expliquei um pouco pra ela sobre a amamentação, que o único alimento do Heitor praticamente é o LM e quem amamenta em LD tem que estar sempre disponível, a história toda. Aí tudo bem. No outro dia ela postou no Face sobre toda sua luta para alcançar o sucesso na Mary Kay e que quando ela entrou nessa, a filha dela tinha apenas dois meses e que enquanto algumas usavam os filhos como desculpa, ela viu uma oportunidade. Geentee, fiquei muito chateada com ela! Como assim??? Como ela fala uma coisa dessas? Eu fiquei triste de verdade. Acho que ela teve a intenção de motivar, mas acabou estragando tudo. Mas tudo bem, tô tentando esquecer isso e agora é que não entro mesmo pra Mary Kay.

Voltando ao assunto... O marido sempre me fala que não preciso ter pressa e pede pra não me preocupar com isso agora, mas gente, ao mesmo tempo que não quero deixar o Heitor me bate a maior saudade de trabalhar. Fico ansiosa, realmente amava trabalhar e são 11 meses apenas cuidando do baby, marido e casa. Chega uma hora que sua mente pede para fazer outras coisas, ainda mais quando  estava acostumada com outra vida. Foi uma mudança brusca e se você pensa em entrar nessa, já te digo: Não é fácil, mas não me vejo fazendo outra coisa...kkk

De qualquer forma, vou fazer tudo com muita calma, muita cautela, vamos analisar todas as possibilidades e fazer o que for melhor para todos nós. Não quero ninguém se desgastando. Agora é pedir a Deus para correr tudo bem para seguirmos com esses planos.

Beijos

E os preparativos estão a todo vapor para festinha do Heitor.

Marcamos para o dia do aniversário dele (18/09, um domingo). Será simples, aqui em casa, para alguns amigos mais chegados e a família. Escolhi o tema Realeza nas cores azul bebê, branco e dourado. Fechei também uma mesa decorada bem bonitinha e alguns itens personalizados. Nada demais, pouca coisa, mas que ficará bem legal.

Comprei os descartáveis e já guardei. Agora é só encomendar os salgados, doces e refri. Também preciso comprar a roupinha dele e um sapatinho. Faço isso ainda essa semana.

Pra guardar de lembrança fechei um ensaio fotográfico em família. Heitor, marido e eu... Depois de um ano, vivendo somente nós três. Lembrando que será dupla comemoração: Heitor dia 18 e marido dia 19/09.

Estou bem nervosa... rsrs Espero que corra tudo bem!

Sério que meu bebê fará um ano??? Tragam meu RN de volta!

E dia 18 o meu amor fez 10 meses. Gente, para tudo! Ou melhor, para o tempo, pq ta passando muito rápido!

Como falei no post anterior, com 9 meses e 20 dias o Heitor estava com 9900kg e 74cm. Não sei se engordou ou cresceu, pois parou de comer. Todo dia é um sofrimento na hora de oferecer a comida, mas bola pra frente. Uma hora ele come.

Está se desenvolvendo mto bem. Aperfeiçoou o que já sabia, agora consegue levantar sozinho em alguns lugares, fica alguns segundos em pé sem apoio, começou a demonstrar mta chateação qdo é contrariado ou qdo tiramos algo da mão dele, chora qdo falo firme com ele e está falando a língua dos bebês mto bem. Percebi que ele entende mta coisa, mais do que imagino. Está um grude com a mamãe e o papai, aliás, adora dormir grudado no pai... rsrs Não pode escutar as músicas que ele gosta que já começa a dançar... kkkk Um barato, mto fofo! Rasgaram mais dois dentes, agora são 8 dentinhos. O sorriso dele está lindo de morrer.

O sono está melhor, pois fui vencida pela cansaço e ele está dormindo na minha cama, além de um ritual do sono (ele entende super bem qdo chega a hora de dormir). De dia tb intensifiquei uma rotina, que ele já tinha, mas estou seguindo a risca sempre que possível. Sempre respeitei as janelas de sono dele, mas agora é mais que sagrado. Deu a horinha do coxilo ou mostrou sinal de sono já coloco pra dormir. E assim vamos seguindo.

Sobre a cama compartilhada, é muito frustrante, mas é a única forma de dormir melhor. Se ele acorda, mama ali mesmo, dorme ali mesmo e ponto. Sei que um dia isso vai acabar e vou chorar de saudade.

É isso. Só sei que planejamos tanta coisa e essas coisinhas chegam e mudam tuuudooo. Aí vamos dançando conforme a música, tentando fazer o melhor para a cria.

Beijos

Olá, minha gente!

Eita que um dos meses mais lindos do ano chegou (faz um tempinho, eu sei...rs). Teve meu niver de 27 anos e niver de 3 anos de casamento. Ah, como já falei aqui, seria o mês que iniciaria as tentativas. Seria uma tentante.

Estava pensando nisso. Como passou rápido. Eu tinha tantos planos... Queria chegar na minha GO e falar: Dra, queremos engravidar!
E aí fazer todos os exames pré-concepcionais, estudar o Fertility Friend todinho, medir a TB certinho, talvez até testes de ovulação, se não acontecesse logo iria tomar todos esses chás... Ah, como planejei minha vida de tentante. Mas aí aconteceu de esquecer de colocar o adesivo (leia aqui), deixamos rolar acreditando/tendo certeza de que nada iria acontecer e pimba: Engravidei. Falando a verdade, eu queria muito ter vivido essa fase, mas Deus sabe de tudo.

Hoje olho para o Heitor e penso: Como eu fui tão boba? Como eu fui querer adiar assim sua chegada? Ainda bem que vc veio logo, meu amor!

As vezes fico pensando como seria se ele não estivesse aqui, mas não dá. Ele faz parte de nós, não dá mais pra viver sem o nosso amor.

Esses dias tenho andado bem chateada e triste. Aqui as coisas regressaram bastante. O Heitor que estava dormindo bem no berço, agora não quer mais, quer dormir colado no papai e na mamãe. Isso é pra pagar a língua, minha gente. Consegui estabelecer bem uma rotina aqui em casa e um ritual para dormir. Tem funcionado, mas o sono noturno só é bom se dormir com a gente. A outra é que antes ele estava comendo duas pratadas por dia de fruta, agora não quer absolutamente nada. Está só no peito, água e toma um suquinho de vez em quando. Sorte que está ganhando peso e crescendo bem. Dia 08 fomos ao pediatra e estava com 9900kg e 74cm. A pediatra acha a mesma coisa que eu: Dente. Continuo insistindo, pois ele vai voltar a comer. Só que eu sempre me sinto culpada. Sinto como se não estivesse desempenhando bem meu papel de mãe, é realmente muito frustrante. Até agora não consegui concluir nada com sucesso... Nem a IA e nem o sono noturno. Aí fico pensando nas outras coisas que virão: Será que vou dar conta? Me sinto muito mal com tudo isso. O marido sempre conversa comigo, me dá uma outra visão das coisas. Eu sei que o Heitor é bem difícil, não conheci nenhum bebê como ele. É cheio de particularidades. Mas eu queria de verdade fazer meu filho comer bem e dormir bem. Dói aqui dentro não conseguir fazer isso. Tem sido um mês bem complicado, emocionalmente falando. Maaasss... Vai passar, certo?

Retornei com a dermatologista e meus exames de sangue estão ótimo. A queda de cabelo realmente é por causa da amamentação. Enquanto eu amamentar será assim. Ela me indicou dois shampoos e já surtiu efeito. Ela falou que realmente segura bem a queda. Outra dica que minha deu é usar Bepantol Spray, vou testar e conto aqui. Por enquanto, só isso. Beijos

Oi meninas! Tudo bem por aí?
Aqui tudo ótimo, graças a Deus!

Lendo o texto da Carol (De repente quero ser mãe), parei para refletir um pouco sobre o Baby Blues. Quando eu estava nessa fase, me perguntava a todo minuto qual o motivo de não me contarem sobre isso. Poxa, tinha muitas amigas que já eram mães e elas não me alertaram daquela sensação. Não me disseram que era daquele jeito, fizeram parecer que tudo era perfeito. Na verdade, somente duas pessoas me falaram mais ou menos o que era e não me deram tantos detalhes. O Baby Blues é um tabu. E sabe o que eu acho? Acho que as mulheres não falam por terem medo de serem julgadas, pois os sentimentos são realmente contraditórios. Sentimos arrependimento, muito medo, tristeza em muitos momentos, ficamos perdidas e ainda tem a culpa.

"A mãe vê todo mundo feliz, o bebê em ótimas condições de saúde e tudo está perfeito, mas ela não consegue se sentir bem e começa a achar que está louca".
(Crescer)

Muita gente acha frescura e realmente nos julgam, principalmente quem ainda não é mãe. Acontece que o Baby Blues pega todo mundo: Quem engravidou sem querer, tentante de longos anos, tentante de pouco tempo, quem já é mãe. Não tem muita escapatória. Existem mulheres que juram que não sentiram nada. Eu acredito. No tempo das nossas mães ou avós ninguem tinha isso. Minha mãe brigou comigo diversas vezes, pois ela não teve isso, toda hora repetia, aliás. Graças a Deus, o meu marido me apoiou bastante e minhas amigas também (aí sim elas falaram do Baby Blues!).

É claro que não dá pra chegar em uma grávida do nada e falar sobre isso, mas em um bate papo e se ela tocar no assunto, devemos comentar. Eu mesma fiz isso muitas vezes, cheguei a perguntar, mas só sabiam me falar que "é maravilhoso ser mãe" e realmente é... Mas, como em tudo que é maravilhoso, existe um preço a pagar.

Para quem é tentante e gestante vale muito a pena se informar e tentar se preparar.

Para quem está vivendo isso, te digo o mantra de todas as mães: Vai passar! Respire fundo, vai passar.

Eita que o tempo tá voando, minha gente. Como pode isso?

Bom, a tempestade passou e agora temos só uma chuvinha... rsrs Graças a Deus o Heitor acalmou mais. Está com dois dentões superiores e o sorriso mais lindo do mundo. Continua irritadinho, babando bastante, mas nada como no mês passado. Continuo com a Camomilina C que, com certeza, está ajudando muito. Agora é um dente atrás do outro.

Fiquei impressionada com o desenvolvimento dele. Ficou super esperto e cheio de vontades. Está bem apegado comigo e olha dentro dos meus olhos para expressar algo. Aprendeu a bater palminha e quase morremos de tanta fofura. Também aprendeu a rolar! Vira e desvira o tempo todo. Quando não quer mais comer ou beber, ele mesmo afasta minha mão, caso eu esteja dando água ou papinha... rsrs Também faz isso quando quer ver algo e estamos em sua frante. Um fofo! kkk Notei que está mais agitado, não para quieto. Ele tinha melhorado, mas voltou. Temos que inventar sempre algo novo, nada o satisfaz por muito tempo.

Alimentação a mesma coisa: Fruta come de boca cheia, mas a papa salgada... Quer nem saber. Vou insistir mais um pouco, se não funcionar mesmo, vou partir para o BLW.

O sono também na mesma. Aliás, piorou. A noite acorda a cada uma hora e meia. Gente, confesso que isso está acabando comigo. As minhas noites estão complicadas. Quando anoitece tenho vontade de chorar, pois jà sei o que irá acontecer. Sei que é tudo culpa minha... Deveria ter estabelecido uma rotina, um ritual, ter ensinado ele a dormir sozinho. Sei que o erro é meu por não seguir meus instintos e seguir recomendações dos outros ou simplesmente porque deixar ele dormir no peito é mais fácil. Ainda estou pensando no que fazer, se fecho ou não a Consultoria. Ou se crio meu próprio método, sei lá. Enquanto isso continuo super estressada, cabelo caindo aos montes e o cansaço enorme. Preciso tomar minha decisão.

Agora chega de mimimi. Bora babar nesse sorriso!

Oi minha gente!

Depois de um ano e cinco meses lá vou eu fazer outro Beta HCG. Não esperava fazer isso tão cedo. Acontece que desde 11.12.2014 não menstruo mais. Depois que o Heitor nasceu, com a amamentação, a M também não deu as caras em nenhum mês (e eu to amando!).  A minha GO pediu para tomar Nactali enquanto eu amamentar, mas eu sou ótima em esquecer as coisas e até hoje não consegui tomar uma cartela inteira... E sabe de outra? Não me previni confiando na amamentação. Ainda por cima sem a M, a coisa fica muito complicada.

Pois bem, meu cabelo começou a cair muito quando o Heitor completou três meses e ainda não parou. Cai muito, muito mesmo. Fui na Dermatologista que passou alguns exames de sangue e no laboratório pedi pra incluir o Beta HCG Quantitativo. Fiquei pensando: "Meu Deus, pq não me cuidei? Foi assim que engravidei do Heitor. Será que não vou aprender?? Sem a M fico nas escuras, ainda sentindo tontura. O que eu vou fazer se esse exame for positivo??"

Voltei pra casa e como todas já sabemos, entrei no site toda hora pra ver se tinha saido o resultado. Acho que todas fazem isso, né??? Kkk
Finalmente o resultado acabou de sair e foi negativo. Engraçado reviver isso. Um frio na barriga só de pensar em um valor maior que 25 mUI/mL.

Não tenho planos para um segundinho(a). Quer dizer, tenho, mas não tenho... rsrs Não consigo nem pensar nisso direito, por isso, baixei um aplicativo para me lembrar da pílula e estou conseguindo tomar certinho. \o/ Bora se cuidar, não dá pra vacilar outra vez (mesmo sendo o melhor vacilo da minha vida!).

Beijos

Oi minha gente!

Tô feliz por conseguir escrever aqui com certa frequência. Isso quer dizer que as coisas estão voltando ao normal, dentro do contexto da vida de mãe, é claro. :)

Hoje quero falar de um post que publiquei dia 20.12.2014 (leia aqui) sobre os meus planos que estão ali do lado. Vejam este trecho:

Mas antes de tudo, que seja feita a vontade DEle em minha vida. Se Ele quiser mudar ou substituir todos os meus planos, eu aceito, pois sei que é o melhor pra mim.

E realmente Ele mudou tudo. Exatamente um mês depois descobri que estava grávida (leia aqui). Ainda lembro bem do susto que tomei quando vi o resultado na tela do computador. Ah, como daria tudo para reviver a minha gestação. Saudade é pouco.

As tentativas eram para começar mês que vem e como eu iria imaginar que mês que vem terei um baby de 10 meses? A vida é muito engraçada mesmo. Por isso que as vezes não adianta planejar, o que tiver que acontecer irá acontecer e acabou. Hoje sou eternamente grata por essa benção. O Heitor é o meu sonho perfeito. Meu sonho lindo de viver.

Heitor (os pés) com 8 dias.

Dia 18/05 o Heitor completou oito meses. Na consulta com a Pediatra estava com 73cm e 9245kg. Engordou apenas 245 gramas devido ao Salto de Desenvolvimento + Dentes superiores + Gripe. Foi a fase mais difícil até aqui. Como mãe achei que iria surtar. Em alguns dias ele reclamou o dia inteiro, babando com a mão na boca, suuupeerr irritado. No meio disso tudo já tinhamos uma viagem fechada para Monte Verde/MG.  Fiquei traumatizada. Ele deu muito trabalho, mal conseguimos fazer as refeições. Só conseguimos com o tablet ligado, era a unica forma de acalmar ele. Ele fez alguns escândalos e recebemos muitos olhares na rua, principalmente dos casais (lá só tinha casal praticamente). Nessas horas eu tinha vontade de chorar. Assim que chegou o dia de ir embora, só tomamos café e pegamos a estrada. O Heitor deu um show no carro, paramos umas duas vezes para acalmar ele e por fim ele pegou no sono, só acordou na rua de casa.

Essa fase com certeza foi muito difícil pra todos nós aqui em casa, afinal, ele aprendeu muitas coisas novas e finalmente os dentinhos superiores rasgaram a gengiva. Li em alguns lugares que essa crise é uma das piores para o bebê, mas graças a Deus o meu amor está acalmando novamente. De qualquer forma, estamos dando Camomilina C no suquinho. A pediatra informou que só faz afeito com sete dias, vamos ver.

E agora, as novas conquistas do Heitor:

- dentinhos superiores aparecendo
- aprendeu a mostrar suas vontades e se comunica bem. Aponta até para os lugares da casa que quer ir, ele adora o meu banheiro... rsrs
- aprendeu a brincar, ex: se jogo uma bolinha, ele joga de volta.
- aprendeu a pegar as coisas em forma de pinça (dedo polegar e indicador).
- agora já sabe que se apertar tal botão o brinquedo irá fazer tal coisa.
- ficou muito independete e está dormindo no berço em seu próprio quarto. Eu senti que ele estava incomodado e na viagem dormiu em um berço desmontável, se mostrou muito confortável. Então vi que era a hora de sair do co-sleeper.
- está quase se levantando sozinho agarrado nos móveis. Ele está treinando muito... rsrs
- reconhece as musicas dos desenhos. Fica todo feliz quando canto pra ele.
- tive a impressão de que ele está dançando quando toca alguma musica que ele gosta. Mas foi só impressão e o marido também teve. Vou observar.
- sono noturno teve uma leve melhora. As vezes dorme quase quatro horas seguidas. Pra quem só dormia duas horas está ótimo, né? Kkkkkk

Enfim, ele ficou muito esperto neste período e quase não acredito no que ele já é capaz de fazer. Gente, cadê meu bbzinho??? Agora vamos rumo aos 9 meses e ver quais as surpresas que nos aguardam.

Força na peruca!
Vai passar!
Aceita que dói menos!
Sei que vou sentir saudade!

Oi meninas! Como estão?

Hoje venho falar sobre essa decisão que tomei (a mais difícil da minha vida).

Lá atrás, quando eu e o marido ainda namorávamos, ele sempre comentava que quando formasse família gostaria que a esposa ficasse em casa cuidando das crianças. Eu com apenas 16 anos, com muitos sonhos profissionais, achava aquilo um absurdo e já deixava bem claro que nunca faria isso. Ele ficava triste, de verdade. Ficava triste mesmo, mas eu já deixava bem claro o que eu queria. Pois bem, o tempo passou, consegui um estágio em uma empresa maravilhosa, me formei e consegui ser efetivada nesta empresa. Casei, comecei a desejar um bebê e engravidei como vocês já conhecem a história. E com a gravidez as coisas mudaram muito. Com o nascimento do Heitor as coisas mudaram mais ainda.

Depois do nascimento do baby o marido começou a falar para eu me decidir e eu adiava sempre. Estava com muito medo de tomar uma decisão. Quando pensava na volta ao trabalho meu coração murchava, eu simplesmente entrava em tristeza profunda, era horrível. Meu marido mudou muito e deixou nas minhas mãos. O que eu decidisse ele apoiaria e entenderia. Me deixou a vontade e disse que eu poderia contar com ele. Isso me deixava mais um duvida ainda! Eu não queria largar meu emprego que tanto lutei para conseguir e ao mesmo tempo não queria deixar o meu bebê de apenas 5 meses e meio (essa era a idade que ele estaria caso eu voltasse). Eu pensava: O que são 5 meses e meio? Como posso deixar meu filho? E como posso pedir demissão depois de todo esse tempo? Vou dizer que quase entrei em parafuso nessa época. O tempo foi passando e virou o ano. Eu decidi que, como estava na dúvida, iria fazer o teste de voltar. Se eu não me adaptasse, pediria demissão. Aí começou a saga de pesquisas de como ordenhar e armazenar o leite materno, pois fazia questão de continuar a amamentação e que o Heitor ainda tomasse meu leite. Também comecei a procurar escolinhas, já que não tinha ninguém de confiança para deixar o Heitor. Minha sogra sempre deixou bem claro que não iria cuidar e minha mãe mora no interior. Essa procura de escolha me deixou mais triste ainda. Toda vez que eu entrava em uma escolinha saia chorando. Não conseguia imaginar o Heitor lá, meu coração ficava em pedaços. Vi duas escolinhas que amei! A que mais gostei tinha uma fila de 50 pessoas pra conseguir uma vaga e a outra ainda tinha uma vaga, porém, não tem estrutura para armazenar o leite materno. Ou seja, teria que introduzir a mamadeira. Isso A-C-A-B-O-U comigo. Parece uma coisa besta, mas me deixou muito mal. Amamentar é algo que idealizei na gestação e eu amo fazer isso! É uma das minhas grandes realizações como mãe. Realmente é muito importante pra mim. Mesmo assim segui com a ideia do teste e fechei com essa escolinha. Comecei a arrumar tudo e recebi o e-mail com o que era necessário para fazer a matrícula do Heitor. A essa altura eu já tinha chorado horrores e o recebimento deste e-mail foi o que mudou tudo. Eu cai na real e me perguntei o que eu estava fazendo. Se eu tenho a opção de ficar em casa, por qual motivo eu estava fazendo isso com meu filho? Pelo dinheiro? Que tipo de pessoa eu sou para voltar só por causa do dinheiro? Estou voltando pela carreira? Isso pode esperar! Pelo que os outros vão pensar? A sociedade mudou e agora o preconceito existe com a mãe fica em casa. A mãe que "não faz nada". Qual o motivo do meu retorno? Eu não tinha! E então me libertei e tomei minha decisão de ficar em casa. Eu tirei um peso enorme das minhas costas e fiquei radiante! Como fiquei feliz e até hoje estou. Não me arrependo de nada! É muito mais difícil e cansativo cuidar de um bebê do que trabalhar, com certeza, mas eu não me arrependo e tomaria essa decisão mais mil vezes se fosse preciso. É benéfico para ele e para mamãe aqui.

Depois veio a parte mais difícil: Pedir demissão. Marquei um almoço com minha chefe um mês antes da data do meu retorno. Ela me deu total apoio, disse que lá é só uma empresa e o Heitor é a minha maior riqueza. Falou que, de coração, ela tinha certeza de que minha decisão estava correta. Disse que as portas estavam abertas e enquanto ela estivesse lá eu teria uma vaga na empresa. Isso me deixou com mais certeza ainda de que eu tinha tomado a decisão certa, fiquei radiante.

Achei que receberia uma enxurrada de críticas pela minha decisão, mas me surpreendi. Muitas pessoas me apoiaram e mostraram muita admiração pela minha atitude. Algumas não concordaram, mas vocês acham que liguei? Eu estava feliz e em paz, isso é o que importa.

Tem dias que não é fácil. Me olho no espelho e estou babada, descabelada e com cara de cansada. Tem dias que o Heitor só quer colo (como ultimamente) e não para de reclamar o dia inteiro. Tem dias que ele não quer comer nada, faz um escândalo. A maioria dos dias fico muito frustrada, pois não consegui fazer nem metade do que eu planejei. Mas tem dias que é uma delícia! Ele está um amor, brinca, faz bagunça, faz carinho, fazemos a maior farra! Com dias ruins ou bons, essa foi a melhor decisão que tomei. Sinto saudade da época que trabalhava, é claro, mas eu não poderia deixar o Heitor. Sinto como se fosse a minha missão cuidar exclusivamente dele, eu não poderia fazer outra coisa. O meu ser, o meu eu não deixa. Não existem palavras para explicar essa forte sensação.

Agradeço a Deus por permitir isso em minha vida. E agradeço ao meu esposo por me apoiar (TE AMO, AMOR DA MINHA VIDA!!!).

Esse post é pra falar um pouco mais sobre o Heitor, já que nunca o descrevi. Primeiramente, já ouviram falar nesse termo? Vejam só as 12 características.

1 – intenso: você sempre sabe o que ele quer e o que ele não quer pois, ele irá gritar, chorar e demonstrar com muita intensidade as vontades e desejos.

2 – hiperativo: o bebê está sempre se mexendo ou mexendo em alguma coisa, pode resistir a ser embalado para dormir ou mesmo, enrolado em uma manta, ele não gosta de ficar quieto.

3 – ele te esgota: o bebê high need esgota todas as suas energias, ele demanda tanto de você que você se sente sugada, sem tempo para nada, em constante estado de alerta.

4 – ele mama (ou come) o tempo todo: o bebê quer mamar a toda hora, ou se alimentar, ou ter alguma coisa na boca.

5 – alta demanda: você está constantemente atendendo os seus desejos, se não o fizer, ele gritará sempre em alto e bom som.

6 – acorda o tempo todo: ele tem dificuldade para adormecer e quando adormece, acorda de hora em hora, não consegue passar por pelo menos 3 horas de sono seguidas.

7 – ele é insatisfeito: não importa o quanto você faça, o bebê high need está sempre insatisfeito, sempre chorando e você sente sempre culpada.

8 – imprevisível: ele não consegue criar hábitos. Em um dia você consegue fazê-lo dormir cantando uma canção e embalando no colo e no outro, isso já não funciona.

9 – Super sensível: este bebê tem uma super sensibilidade ao ambiente e as pessoas que o cercam, pode começar a chorar se estiver em ambiente com muito barulho, se as pessoas estiverem discutindo entre si, ou gargalhando alto.

10 – Não dá para colocar o bebê no berço: ele precisa estar o tempo todo no colo e em movimento.

11- ele não consegue dormir sozinho: este bebê dificilmente conseguirá cair no sono em seu berço com facilidade, ele precisa de ajuda, precisa ser embalado e acarinhado.

12 – sensível a separação: ele vai sofrer mesmo se você se separar dele, vai chorar alto e mais alto até que elejam um cuidador que possa substituir a mãe.

Fonte: http://www.bagagemdemae.com.br/sera-que-eu-tenho-um-bebe-high-need/

Eu tenho um bebê desses, minha gente. Posso dizer que as coisas melhoraram depois dos 2 meses e meio, agora com quase 8 meses melhorou mais ainda. Como falei no post anterior, no primeiro mês o Heitor era um bebê bem tranquilo. O problema era o sono noturno, somente. Depois que completou um mês ele mudou muito. Era super reclamão, nada o satisfazia. Queria muito peito, uma trabalheira para dormir e quando conseguia dormia apenas 15 minutos no colo ou bebê conforto. Se entediava muito rápido e fácil. Tinha que ter muitas atividades com ele. A noite ele só pegava no sono as duas da manhã. Tivemos dois episódios em que ele só pegou no sono as cinco da manhã (isso com dois meses). Olha, não sei como consegui ficar acordada. Depois ele passou a dormir meia noite, depois as onze e agora as dez horas da noite já está capotado. A alimentação foi LM em LD até os seis meses. Começamos a IA e até hoje ele não aceita a papa salgada com facilidade. Temos que ser criativos na hora do almoço e jantar. Por outro lado, adora Caqui, Abacate, Banana e Manga. Gosta muito de suco e água também. Continuamos com LM em LD nos intervalos. A parte da amamentação continua possível devido ao meu pedido de demissão do trabalho. Eu não retornei, mas isso é assunto para outro post.

O Heitor com sete meses completos estava com 72cm e 9kg. A próxima consulta com o pediatra é dia 17/05, aí vou ter o peso e tamanho atualizado. Fisicamente é a cara do pai. Tem alguns detalhes meus como a "covinha" nas bochechas, o formatos dos olhos, o joelho (kkk), a sobrancelha e deixa eu ver... Só! kkk Ele é a cópia do pai dele, simplesmente. E segundo minha sogra, o pai dele também era um High Need e depois de um ano virou um anjo. Seguimos com essa esperança...kkk

Hoje ele se tornou um bebê bem brincalhão, carinhoso e risonho. Adora passear de carrinho e brincadeiras que tenham muita bagunça. Demanda muita atenção ainda, mas não como no começo. Estranha algumas pessoas, dá tchau, chama com a mãozinha, senta sozinho, se apoia em alguns móveis para ficar em pé (mas não sozinho, ainda fico por perto), vira de bruços e fica bravo por não conseguir desvirar (aliás, ele odeia ficar de bruços). Não engatinha ainda, tem bastante preguiça pelo que já notei. Diz "tata", "mama", "papa", "titi"... Uma graça! rs Dá altos gritos! Já tem os dois dentinhos inferiores que saíram com 6 meses. Não deu nada de trabalho, quando notei os dentinhos já tinham rasgado a gengiva. Acredito que os dois superiores estão para rasgar, pois ele está babando muito e está mais irritado que o normal. A gengiva está bem grossa também. Vamos esperar. Adora televisão, os desenhos preferidos são Bita, Galinha Pintadinha e Três Palavrinhas. Eu aproveito esses momentos para arrumar a casa e fazer comida. Também já pegou duas gripes devido a mudança de tempo. O sono noturno é péssimo. Acorda a cada duas horas, as vezes a cada uma hora. Mama e dorme, as vezes não quer mamar e tenho que andar com ele pelo quarto em plena madrugada. As sonecas de dia duram em torno de 40 minutos. As vezes menos. Desabafando... Estou exausta. Estou até vendo uma consultora do sono infantil, mas não tem nada fechado. Conto qual será minha decisão logo mais.

Esse é o Heitor. Queria postar uma foto dele, mas infelizmente não dá. Quero esse cantinho só pra mim e pra vocês... rsrs

Beijos!

Atenção! Texto grande.

O foco mesmo é a primeira semana. Bom, hoje eu lembro e tenho até saudade! rsrs

Quando o Heitor nasceu, logo cedo no dia seguinte a família já estava lá. Todos na babação, pois é o primeiro neto do meu sogro e sogra. No caso da minha mãe é o primeiro neto homem. Confesso que fiquei com muitos ciúmes e para minha surpresa o marido ficou com muito mais. Todo mundo em cima do Heitor e eu achando que iria desmaiar e marido ditando regras... "Não façam isso, não façam aquilo". Eu fiquei quieta, apesar de tudo. Eles ficaram pouco, minha mãe ficou até de tarde. Foi embora e ficamos eu, marido e Heitor. A noite chegou e com ela a primeira dificuldade. O Heitor ficou com o nariz entupido e começou a ficar ruim pra ele respirar. Ele chorava e chorava. Eu acalentei, o marido acalentou e liguei para o berçario pedindo Rinosoro. Elas demoraram e o Heitor acabou dormindo. Colocamos ele no bercinho, sentei na cama e desabei. Ali, com aquela dificuldade (que pra gente era uma enorme, nunca tinhamos lidado assim com um bebê), caiu toda a ficha... Caiu toda aquela enorme responsabilidade, eu senti o peso. Agora, aquela vidinha me pertencia e eu teria que cuidar dela por toda a vida. Dar amor, carinho, educar, sustentar, ensinar, cuidar. Eu chorei muito e o marido só me abraçava.

Na noite seguinte, o problema era outro. O Heitor não acordava para mamar. Chamei a enfermeira, ela veio e tirou toda roupa do Heitor. Eu quase chorei de tanta dó. Ela foi embora e ele mamou. O problema é que a pessoa aqui nunca tinha trocado uma fralda, imagina vestir um bebê! Aí começou o desespero. Somente eu e o marido, nenhuma enfermeira aparecia. Decidimos tentar e foi horrível. Me desesperei tanto que foi o marido que acabou conseguindo vestir o Heitor. Mais uma vez sentei na cama e chorei muito. Eu só tinha um pensamento: Eu nunca vou conseguir cuidar dele! Eu não sei vestir, nem trocar, nem dar banho... Meu Deus! Não vou conseguir.
E mais uma vez o marido me abraçava e consolava.

Finalmente o dia de ir embora. Lembro do trajeto de volta pra casa, eu olhando aquela coisinha no Bebê Conforto dormindo. Em casa havia até cartaz para o Heitor. Todo mundo empolgado, feliz, quase saltitando de alegria e eu... Eu estava perdida. Estava cansada e ninguem queria sair da minha casa. Sentei no sofá enquanto minha mãe e sogra conversavam na maior felicidade. Olhei pra tudo aquilo e sabe o que eu fiz? Chorei! Kkk Minha mãe perguntou qual o motivo e eu não conseguia falar. Minha sogra respondeu por mim, ela entendeu melhor. Minha mãe mandou eu parar e falou que ela não teve "essas coisas". Continuei chorando. A noite chegou e essa foi "a noite". Heitor acordava a cada 15 ou 20 minutos, não queria dormir no bercinho colado na minha cama. Queria mamar e mamar. Eu ia pra sala pra deixar o marido dormir e minha mãe sempre ficava comigo. Eu colocava ele no bercinho e em 20 minutos ele acordava por dois motivos: Não queria dormir no berço e não queria dormir de barriga pra cima. Sempre acordava devido ao Reflexo de Moro. Eu paranóica com as recomendações, não deixava ele dormir de lado e nem comigo. E a minha mãe falando: Ele quer vc, quer sentir vc.
Ela me chamava de teimosa e dizia que eu era ruim...kkk

De dia o Heitor dormia super bem, mas a noite sempre a mesma coisa. Acordava a cada 20 minutos. E por tudo, na primeira semana chorei todos os dias. MInha mãe brigava com comigo, disse que não poderia ficar assim no meu resguardo, "pq resguardo é uma coisa muito séria, minha avó faleceu no resguardo dela". Até que dei um basta nisso. Confesso que ir no pediatra e saber que o Heitor estava forte e saudável apenas com LM ajudou bastante.

No meio disso tudo, ainda tinha a bendita amamentação. Pega correta, bastante leite, mas eu ficava muito encucada, pois a orientação que tive é que o Heitor deveria mamar no mínimo 40 minutos em cada seio, caso contrário, ele iria mamar apenas o leite "magro" e não iria ganhar peso. E aí o menino mamava no máximo dez minutos. Eu chorava, chorava me perguntando o que eu deveria fazer... Eu acordava ele, mexia nele e ele só mamava dez minutos. Acabei desistindo e falei seja o que Deus quiser. Saímos do Hosp na segunda e na sexta o Heitor já tinha pediatra, com isso saberia se ele estava ganhando peso ou não. Entrei na sala da médica com o Heitor no peito, mamando. Ela achou ótimo e disse que eu nasci pra ser mãe... rsrs Logo começou a examiná-lo e os resultados foram ótimos! O Heitor nasceu com 3425kg e 51cm. Saiu do hospital com 3220kg (em uma segunda-feira) e na consulta (sexta-feira) já estava com 3445kg e 52cm! Eu quase chorei de felicidade! O que acontecia é que ele era guloso, secava o peito em pouco tempo.

Depois dessa consulta fiquei bem segura, mas no dia seguinte estava um caco. Uma semana sem dormir direito. Não queria ver ninguem! E minha mãe chamando visitas pra minha casa, marido tentou barrar, mas eu lavei o rosto, tentei melhorar e recebi todos. Mas não via hora irem embora.

Hoje eu penso que no primeiro mês, nínguem deve ir visitar, a não ser que seja convidado. O negócio não é fácil. Eu pensava: Poxa, pq ninguém me avisou que seria assim? Eu chorava de saudades do meu marido (que estava ali, mas eu não conseguia ficar com ele), saudade da minha rotina, saudades de deitar no sofá quando eu bem entendesse, saudades de dormir uma noite INTEIRA. E ainda por cima o Heitor era piercing de mamilo! Era peito toda hora! Minhas costas doiam, o peito machucado e eu aprendendo a cuidar de um RN. Minha mãe me ensinou a trocar, a vestir e dar banho. O primeiro banho foi com 20 dias! Morrendo de medo. Minha rotina era isso: Noite muito mal dormida e muito peito, de dia o Heitor dormia melhor e eu dormia ou resolvia alguma outra coisa, mais peito, depois do almoço era o banho do Heitor, ele dormia, eu tomava banho e dormia com ele. E muito peito, peito demais... Quando lembro até me cansa... rsrs Minha mãe cuidava de tudo e de todos: Casa, comida e roupa. Ela foi uma mãezona. Ela ficou comigo em todas as madrugadas. Todas! Não me deixou só. No final eu já ficava quieta com o Heitor pra deixar ela descansar.

Quando o primeiro mês estava acabando, o Heitor passou a dormir a noite e acordava a cada duas horas. Eu   mega feliz, afinal, dormir duas horas seguidas era um luxo e eu estava conseguindo! Minha mãe começou a avisar que ela iria embora... Eu já estava trocando, banhando e cuidando de tudo. Deveria seguir minha vida e ela precisava voltar pra dela. E eu que falava que minha mãe só precisaria ficar uma semana, acabou ficando 29 dias... rsrs

Ela partiu, mas me deixou segura e me ensinou tudo. Eu sentia um frio na barriga em saber que logo estaria sozinha com ele em casa, mas estava feliz em seguir minha vida e agradecida a minha mãe por tudo que ela fez por mim.

Esse foi meu primeiro mês. Tive Baby Blues, vivi tudo que tinha pra viver nesse período e uma coisa é verdade sobre as dificuldades do primeiro mês: Passa! O que ficou é a saudade do meu RN.

Continuação...

As dores foram aumentando, ao ponto que tinha que parar e agarrar na parede. O marido tentava fazer carinho, tipo "to aqui, to te dando força" e parecia que quando alguém encostava doía mais ainda. Nisso eu morrendo de fome e nada da minha comida chegar. Eu estava com 2 contrações a cada 5 minutos. Falei que queria ir para o quarto e sentar. Eu já não tinha posição... Sentada estava insuportável, deitei e estava insuportável, em pé estava insuportável, simplesmente não tinha posição! Voltei a caminhar e a cada contração eu dava soquinhos na parede. Percebemos que eu estava com 2 contrações por minuto. Eu não conseguia respirar. Era uma atras da outra. Me deu vontade de ir no banheiro e sentar naquele vazo sanitário enquanto tinha contração também era insuportável! Senhor! Enquanto estava no banheiro minha médica chegou. Já havia passado 3hrs e eu falei da frequência das contrações. Novamente cardiotoco e toque. Essa foi a pior parte de todas... Saber que eu ainda estava com os mesmos 2cm. Eu quase pirei e falei que não queria mais! Eu não aguentava mais... Até onde iria naquela situação? Se passaram 3 horas e 2 contrações por minuto e nada mais de dilatação? Pra vcs terem uma idéia o Heitor ainda estava alto! Enquanto eu pirava, lá vinham mais contrações... Batia na parede, puxava os cabelos (puxava mesmo), apertava os adesivos que tinha na parede e qdo o marido me tocou, pedi por favor, pra ele não fazer isso... kkk A única coisa que não fiz foi gritar, minha médica disse que lido super bem com as dores...kkk Combinei com a médica de esperar só mais duas horas e se não houvesse dilatação eu iria para cesárea. Aí ela pediu para não comer então, já que eu poderia ir para cesárea. Bebi um pouco de água e só. E lá se foram duas horas na mesma situação e quando ela fez o toque, ainda 2cm de dilatação. Pirei de vez e falei que não iria esperar mais. Ela falou que tudo bem, foi atras da sala de cirurgia e ligar para equipe dela. Nisso eu comecei a passar mal a cada contração e vomitei. Geteeemmm... Fazia mais de 10 anos que eu não vomitava! Que sensação ruim... rsrs

Depois disso, as coisas foram rápidas. Continuei com as contrações e a enfermeira veio me buscar. Cheguei na sala de cirurgia, ainda tive mais quatro contrações horríveis. Fiquei deitada de lado e a cada contração eu puxava o meu cabelo e fechava os olhos. Achei que ninguém estava vendo e quando olhei para o lado a enfermeira estava me olhando com cara de quem estava pensando "coitada!"...kkk Enquanto isso o marido aguardava do lado de fora. Graças a Deus a equipe toda chegou e o anestesista veio falar comigo. Pediu para eu ficar na posição de "C", explicou como seria e minha médica pediu para eu não me mexer, que quando eu sentisse a agulha era para apertar a mão dela e não me mexer. Quando ele estava quase aplicando veio uma contração e pedi pra esperar. Essa hora foi tensa. Estava o tempo todo em oração, pedindo a proteção de Deus. No fim, a aplicação da anestesia foi bem mais tranquila do pensei e quase não senti a picada, de verdade. Logo deitei, e já não sentia as pernas, apenas o dedão do pé esquerdo, até consegui mexer...rsrs Eles preparam tudo e logo começou. O marido entrou na sala, falou um pouco comigo e a médica falou "Vai nascer!" (os olhos enchem de lágrimas quando lembro!). Marido preparou o celular e logo depois, as 21:12hrs, o Heitor nasceu. Escutei o forte choro dele, comecei a chorar e chorar. Poxa, aquele era o choro do meu filho! Do meu amor! O marido seguiu ele e ficou acompanhando enquanto o examinavam. Eu só escutava o marido dizer que ele era lindo! Ele dizia: "Que lindo, que lindo!". E eu dizia: Eu quero ver ele! rsrs E logo me trouxeram. Colocaram em cima do meu peito, segurei com a minha mão livre e conversei com ele. Ele parou de chorar na mesma hora e olhava dentro dos meus olhos enquanto eu falava. Ele queria voltar a chorar e eu falava: "Heitor, não precisa chorar. Vc já está com a mamãe de novo." E ele parou e não chorou mais. Logo o levaram para o berçário e o marido saiu da sala. A equipe se despediu e fui levada para o pós parto. Fiquei lá mais ou menos 1 hora e meia. Voltei a sentir super rápido as pernas, o bumbum demorou mais... rsrs O enfermeiro me levou para o quarto e o marido já estava lá. Aproveitei para dormir e descansar. Ligaram para o meu quarto pedindo para levar a primeira troca e chamando o marido para ver o primeiro banho do Heitor. Eu continuei a dormir.

As 5:00 a enfermeira veio me ajudar a tomar banho. Foi meio ruim me levantar a primeira vez após a cirurgia. Mas, nada como um banho e uma roupa limpinha! A esta altura eu já estava louca pra ver o Heitor. Logo depois a porta abriu e o meu príncipe estava no colo da enfermeira. Ela entrou e disse: Trouxe o neném pra mamar. Eu fiquei tensa, pois a gestação inteira achei que não iria conseguir amamentar devido aos meus bicos que eram pequenos, hoje eu sei que isso não tem nada a ver. O marido ficou tenso do outro lado... Ela me deu o Heitor, o abracei e o coloquei no peito. Foi, tipo assim, automático! Ele começou a sugar na mesma hora! Nunca vou esquecer. A enfermeira se surpreendeu e falou que achava que o Heitor não iria mamar... Oi? Não sei qual o motivo dela ter dito isso. O Heitor tem um leve freio na língua, será que foi por isso? Bom, ainda não sei... rsrs Só sei que fiquei muito feliz! Pouco depois a minha família chegou e foi só alegria. Todo mundo babando no Heitor! rsrs

E foi assim que o Heitor chegou. Confesso que queria ter feito diferente, mas já são águas passadas. O importante é que ele nasceu com saúde, correu tudo maravilhosamente bem. O pós operatório também foi ótimo. Não senti quase nada de dor, a cicatrização ficou perfeita e hoje já está tudo normal. Vida normal! Apesar de apoiar totalmente o parto normal, agora eu sei que a cesárea não é o bicho de sete cabeças que algumas pessoas falavam. Não mesmo! Respeito todos os tipos de parto e o principal, respeito a escolha de cada pessoa em relação a isso.

É isso. Assim que eu conseguir venho contar como foi o primeiro mês como mamãe. Mas vou falar a verdade nua e crua, hein! Coisa que ninguém me falou. rsrs Principalmente sobre o baby blues.

Beijos