Oi minha gente!

Tô feliz por conseguir escrever aqui com certa frequência. Isso quer dizer que as coisas estão voltando ao normal, dentro do contexto da vida de mãe, é claro. :)

Hoje quero falar de um post que publiquei dia 20.12.2014 (leia aqui) sobre os meus planos que estão ali do lado. Vejam este trecho:

Mas antes de tudo, que seja feita a vontade DEle em minha vida. Se Ele quiser mudar ou substituir todos os meus planos, eu aceito, pois sei que é o melhor pra mim.

E realmente Ele mudou tudo. Exatamente um mês depois descobri que estava grávida (leia aqui). Ainda lembro bem do susto que tomei quando vi o resultado na tela do computador. Ah, como daria tudo para reviver a minha gestação. Saudade é pouco.

As tentativas eram para começar mês que vem e como eu iria imaginar que mês que vem terei um baby de 10 meses? A vida é muito engraçada mesmo. Por isso que as vezes não adianta planejar, o que tiver que acontecer irá acontecer e acabou. Hoje sou eternamente grata por essa benção. O Heitor é o meu sonho perfeito. Meu sonho lindo de viver.

Heitor (os pés) com 8 dias.

Dia 18/05 o Heitor completou oito meses. Na consulta com a Pediatra estava com 73cm e 9245kg. Engordou apenas 245 gramas devido ao Salto de Desenvolvimento + Dentes superiores + Gripe. Foi a fase mais difícil até aqui. Como mãe achei que iria surtar. Em alguns dias ele reclamou o dia inteiro, babando com a mão na boca, suuupeerr irritado. No meio disso tudo já tinhamos uma viagem fechada para Monte Verde/MG.  Fiquei traumatizada. Ele deu muito trabalho, mal conseguimos fazer as refeições. Só conseguimos com o tablet ligado, era a unica forma de acalmar ele. Ele fez alguns escândalos e recebemos muitos olhares na rua, principalmente dos casais (lá só tinha casal praticamente). Nessas horas eu tinha vontade de chorar. Assim que chegou o dia de ir embora, só tomamos café e pegamos a estrada. O Heitor deu um show no carro, paramos umas duas vezes para acalmar ele e por fim ele pegou no sono, só acordou na rua de casa.

Essa fase com certeza foi muito difícil pra todos nós aqui em casa, afinal, ele aprendeu muitas coisas novas e finalmente os dentinhos superiores rasgaram a gengiva. Li em alguns lugares que essa crise é uma das piores para o bebê, mas graças a Deus o meu amor está acalmando novamente. De qualquer forma, estamos dando Camomilina C no suquinho. A pediatra informou que só faz afeito com sete dias, vamos ver.

E agora, as novas conquistas do Heitor:

- dentinhos superiores aparecendo
- aprendeu a mostrar suas vontades e se comunica bem. Aponta até para os lugares da casa que quer ir, ele adora o meu banheiro... rsrs
- aprendeu a brincar, ex: se jogo uma bolinha, ele joga de volta.
- aprendeu a pegar as coisas em forma de pinça (dedo polegar e indicador).
- agora já sabe que se apertar tal botão o brinquedo irá fazer tal coisa.
- ficou muito independete e está dormindo no berço em seu próprio quarto. Eu senti que ele estava incomodado e na viagem dormiu em um berço desmontável, se mostrou muito confortável. Então vi que era a hora de sair do co-sleeper.
- está quase se levantando sozinho agarrado nos móveis. Ele está treinando muito... rsrs
- reconhece as musicas dos desenhos. Fica todo feliz quando canto pra ele.
- tive a impressão de que ele está dançando quando toca alguma musica que ele gosta. Mas foi só impressão e o marido também teve. Vou observar.
- sono noturno teve uma leve melhora. As vezes dorme quase quatro horas seguidas. Pra quem só dormia duas horas está ótimo, né? Kkkkkk

Enfim, ele ficou muito esperto neste período e quase não acredito no que ele já é capaz de fazer. Gente, cadê meu bbzinho??? Agora vamos rumo aos 9 meses e ver quais as surpresas que nos aguardam.

Força na peruca!
Vai passar!
Aceita que dói menos!
Sei que vou sentir saudade!

Oi meninas! Como estão?

Hoje venho falar sobre essa decisão que tomei (a mais difícil da minha vida).

Lá atrás, quando eu e o marido ainda namorávamos, ele sempre comentava que quando formasse família gostaria que a esposa ficasse em casa cuidando das crianças. Eu com apenas 16 anos, com muitos sonhos profissionais, achava aquilo um absurdo e já deixava bem claro que nunca faria isso. Ele ficava triste, de verdade. Ficava triste mesmo, mas eu já deixava bem claro o que eu queria. Pois bem, o tempo passou, consegui um estágio em uma empresa maravilhosa, me formei e consegui ser efetivada nesta empresa. Casei, comecei a desejar um bebê e engravidei como vocês já conhecem a história. E com a gravidez as coisas mudaram muito. Com o nascimento do Heitor as coisas mudaram mais ainda.

Depois do nascimento do baby o marido começou a falar para eu me decidir e eu adiava sempre. Estava com muito medo de tomar uma decisão. Quando pensava na volta ao trabalho meu coração murchava, eu simplesmente entrava em tristeza profunda, era horrível. Meu marido mudou muito e deixou nas minhas mãos. O que eu decidisse ele apoiaria e entenderia. Me deixou a vontade e disse que eu poderia contar com ele. Isso me deixava mais um duvida ainda! Eu não queria largar meu emprego que tanto lutei para conseguir e ao mesmo tempo não queria deixar o meu bebê de apenas 5 meses e meio (essa era a idade que ele estaria caso eu voltasse). Eu pensava: O que são 5 meses e meio? Como posso deixar meu filho? E como posso pedir demissão depois de todo esse tempo? Vou dizer que quase entrei em parafuso nessa época. O tempo foi passando e virou o ano. Eu decidi que, como estava na dúvida, iria fazer o teste de voltar. Se eu não me adaptasse, pediria demissão. Aí começou a saga de pesquisas de como ordenhar e armazenar o leite materno, pois fazia questão de continuar a amamentação e que o Heitor ainda tomasse meu leite. Também comecei a procurar escolinhas, já que não tinha ninguém de confiança para deixar o Heitor. Minha sogra sempre deixou bem claro que não iria cuidar e minha mãe mora no interior. Essa procura de escolha me deixou mais triste ainda. Toda vez que eu entrava em uma escolinha saia chorando. Não conseguia imaginar o Heitor lá, meu coração ficava em pedaços. Vi duas escolinhas que amei! A que mais gostei tinha uma fila de 50 pessoas pra conseguir uma vaga e a outra ainda tinha uma vaga, porém, não tem estrutura para armazenar o leite materno. Ou seja, teria que introduzir a mamadeira. Isso A-C-A-B-O-U comigo. Parece uma coisa besta, mas me deixou muito mal. Amamentar é algo que idealizei na gestação e eu amo fazer isso! É uma das minhas grandes realizações como mãe. Realmente é muito importante pra mim. Mesmo assim segui com a ideia do teste e fechei com essa escolinha. Comecei a arrumar tudo e recebi o e-mail com o que era necessário para fazer a matrícula do Heitor. A essa altura eu já tinha chorado horrores e o recebimento deste e-mail foi o que mudou tudo. Eu cai na real e me perguntei o que eu estava fazendo. Se eu tenho a opção de ficar em casa, por qual motivo eu estava fazendo isso com meu filho? Pelo dinheiro? Que tipo de pessoa eu sou para voltar só por causa do dinheiro? Estou voltando pela carreira? Isso pode esperar! Pelo que os outros vão pensar? A sociedade mudou e agora o preconceito existe com a mãe fica em casa. A mãe que "não faz nada". Qual o motivo do meu retorno? Eu não tinha! E então me libertei e tomei minha decisão de ficar em casa. Eu tirei um peso enorme das minhas costas e fiquei radiante! Como fiquei feliz e até hoje estou. Não me arrependo de nada! É muito mais difícil e cansativo cuidar de um bebê do que trabalhar, com certeza, mas eu não me arrependo e tomaria essa decisão mais mil vezes se fosse preciso. É benéfico para ele e para mamãe aqui.

Depois veio a parte mais difícil: Pedir demissão. Marquei um almoço com minha chefe um mês antes da data do meu retorno. Ela me deu total apoio, disse que lá é só uma empresa e o Heitor é a minha maior riqueza. Falou que, de coração, ela tinha certeza de que minha decisão estava correta. Disse que as portas estavam abertas e enquanto ela estivesse lá eu teria uma vaga na empresa. Isso me deixou com mais certeza ainda de que eu tinha tomado a decisão certa, fiquei radiante.

Achei que receberia uma enxurrada de críticas pela minha decisão, mas me surpreendi. Muitas pessoas me apoiaram e mostraram muita admiração pela minha atitude. Algumas não concordaram, mas vocês acham que liguei? Eu estava feliz e em paz, isso é o que importa.

Tem dias que não é fácil. Me olho no espelho e estou babada, descabelada e com cara de cansada. Tem dias que o Heitor só quer colo (como ultimamente) e não para de reclamar o dia inteiro. Tem dias que ele não quer comer nada, faz um escândalo. A maioria dos dias fico muito frustrada, pois não consegui fazer nem metade do que eu planejei. Mas tem dias que é uma delícia! Ele está um amor, brinca, faz bagunça, faz carinho, fazemos a maior farra! Com dias ruins ou bons, essa foi a melhor decisão que tomei. Sinto saudade da época que trabalhava, é claro, mas eu não poderia deixar o Heitor. Sinto como se fosse a minha missão cuidar exclusivamente dele, eu não poderia fazer outra coisa. O meu ser, o meu eu não deixa. Não existem palavras para explicar essa forte sensação.

Agradeço a Deus por permitir isso em minha vida. E agradeço ao meu esposo por me apoiar (TE AMO, AMOR DA MINHA VIDA!!!).

Esse post é pra falar um pouco mais sobre o Heitor, já que nunca o descrevi. Primeiramente, já ouviram falar nesse termo? Vejam só as 12 características.

1 – intenso: você sempre sabe o que ele quer e o que ele não quer pois, ele irá gritar, chorar e demonstrar com muita intensidade as vontades e desejos.

2 – hiperativo: o bebê está sempre se mexendo ou mexendo em alguma coisa, pode resistir a ser embalado para dormir ou mesmo, enrolado em uma manta, ele não gosta de ficar quieto.

3 – ele te esgota: o bebê high need esgota todas as suas energias, ele demanda tanto de você que você se sente sugada, sem tempo para nada, em constante estado de alerta.

4 – ele mama (ou come) o tempo todo: o bebê quer mamar a toda hora, ou se alimentar, ou ter alguma coisa na boca.

5 – alta demanda: você está constantemente atendendo os seus desejos, se não o fizer, ele gritará sempre em alto e bom som.

6 – acorda o tempo todo: ele tem dificuldade para adormecer e quando adormece, acorda de hora em hora, não consegue passar por pelo menos 3 horas de sono seguidas.

7 – ele é insatisfeito: não importa o quanto você faça, o bebê high need está sempre insatisfeito, sempre chorando e você sente sempre culpada.

8 – imprevisível: ele não consegue criar hábitos. Em um dia você consegue fazê-lo dormir cantando uma canção e embalando no colo e no outro, isso já não funciona.

9 – Super sensível: este bebê tem uma super sensibilidade ao ambiente e as pessoas que o cercam, pode começar a chorar se estiver em ambiente com muito barulho, se as pessoas estiverem discutindo entre si, ou gargalhando alto.

10 – Não dá para colocar o bebê no berço: ele precisa estar o tempo todo no colo e em movimento.

11- ele não consegue dormir sozinho: este bebê dificilmente conseguirá cair no sono em seu berço com facilidade, ele precisa de ajuda, precisa ser embalado e acarinhado.

12 – sensível a separação: ele vai sofrer mesmo se você se separar dele, vai chorar alto e mais alto até que elejam um cuidador que possa substituir a mãe.

Fonte: http://www.bagagemdemae.com.br/sera-que-eu-tenho-um-bebe-high-need/

Eu tenho um bebê desses, minha gente. Posso dizer que as coisas melhoraram depois dos 2 meses e meio, agora com quase 8 meses melhorou mais ainda. Como falei no post anterior, no primeiro mês o Heitor era um bebê bem tranquilo. O problema era o sono noturno, somente. Depois que completou um mês ele mudou muito. Era super reclamão, nada o satisfazia. Queria muito peito, uma trabalheira para dormir e quando conseguia dormia apenas 15 minutos no colo ou bebê conforto. Se entediava muito rápido e fácil. Tinha que ter muitas atividades com ele. A noite ele só pegava no sono as duas da manhã. Tivemos dois episódios em que ele só pegou no sono as cinco da manhã (isso com dois meses). Olha, não sei como consegui ficar acordada. Depois ele passou a dormir meia noite, depois as onze e agora as dez horas da noite já está capotado. A alimentação foi LM em LD até os seis meses. Começamos a IA e até hoje ele não aceita a papa salgada com facilidade. Temos que ser criativos na hora do almoço e jantar. Por outro lado, adora Caqui, Abacate, Banana e Manga. Gosta muito de suco e água também. Continuamos com LM em LD nos intervalos. A parte da amamentação continua possível devido ao meu pedido de demissão do trabalho. Eu não retornei, mas isso é assunto para outro post.

O Heitor com sete meses completos estava com 72cm e 9kg. A próxima consulta com o pediatra é dia 17/05, aí vou ter o peso e tamanho atualizado. Fisicamente é a cara do pai. Tem alguns detalhes meus como a "covinha" nas bochechas, o formatos dos olhos, o joelho (kkk), a sobrancelha e deixa eu ver... Só! kkk Ele é a cópia do pai dele, simplesmente. E segundo minha sogra, o pai dele também era um High Need e depois de um ano virou um anjo. Seguimos com essa esperança...kkk

Hoje ele se tornou um bebê bem brincalhão, carinhoso e risonho. Adora passear de carrinho e brincadeiras que tenham muita bagunça. Demanda muita atenção ainda, mas não como no começo. Estranha algumas pessoas, dá tchau, chama com a mãozinha, senta sozinho, se apoia em alguns móveis para ficar em pé (mas não sozinho, ainda fico por perto), vira de bruços e fica bravo por não conseguir desvirar (aliás, ele odeia ficar de bruços). Não engatinha ainda, tem bastante preguiça pelo que já notei. Diz "tata", "mama", "papa", "titi"... Uma graça! rs Dá altos gritos! Já tem os dois dentinhos inferiores que saíram com 6 meses. Não deu nada de trabalho, quando notei os dentinhos já tinham rasgado a gengiva. Acredito que os dois superiores estão para rasgar, pois ele está babando muito e está mais irritado que o normal. A gengiva está bem grossa também. Vamos esperar. Adora televisão, os desenhos preferidos são Bita, Galinha Pintadinha e Três Palavrinhas. Eu aproveito esses momentos para arrumar a casa e fazer comida. Também já pegou duas gripes devido a mudança de tempo. O sono noturno é péssimo. Acorda a cada duas horas, as vezes a cada uma hora. Mama e dorme, as vezes não quer mamar e tenho que andar com ele pelo quarto em plena madrugada. As sonecas de dia duram em torno de 40 minutos. As vezes menos. Desabafando... Estou exausta. Estou até vendo uma consultora do sono infantil, mas não tem nada fechado. Conto qual será minha decisão logo mais.

Esse é o Heitor. Queria postar uma foto dele, mas infelizmente não dá. Quero esse cantinho só pra mim e pra vocês... rsrs

Beijos!