[ATUALIZADO] Sobre a Introdução Alimentar

Gente, uma rápida atualização. 
Conforme abaixo, o Heitor começou a aceitar comida há mais ou menos um mês. Hoje fomos ao pediatra e, graças a Deus, o Heitor recuperou seu peso. Aliás, engordou bastante e comendo somente comidinhas saudáveis. Está 11250kg e 82cm (estava com 10070kg e 81,5cm). Mamãe acalmou o coração. Agora, acredito que não irá continuar engordando dessa forma, ele apenas recuperou o que perdeu e o que deveria ter ganhado.
Obrigada, Deus!

-----*-----*-----

E aí que seu bebê nasce. Vc morrendo de medo da amamentação... De tudo dar errado. Mas pelo contrário, tudo dá muito certo. Mais certo do que vc imaginava. Bebê ganhando peso, crescendo lindamente. Chegam os 6 meses de amamentação exclusiva: Hora da Introdução Alimentar (IA).

Como mãe, até aqui, esse foi o meu maior desafio. Na mesma proporção que amamentação deu certo, a IA deu errado. Eu li tanto, estudei tanto, passei com nutricionista antes de começar e as coisas não aconteceram.

Por aqui escolhi a forma tradicional, com papinhas mesmo. O Heitor aceitou até os 9 meses, depois disso, simplesmente parou. O LM e água eram as únicas coisas que ele aceitava. Mas até um ano, tentei manter a calma, afinal, o LM continuava sendo o principal alimento. Depois de um ano e um mês, o Heitor começou a perder peso e  claramente não estava consumindo todos os nutrientes que precisava. O cabelo estava ralo, o rostinho dele estava bem abatido... Como se estivesse doente. Entrei em nível de desespero que não sei explicar. Comecei a ficar muito triste com tudo isso, já não sabia mais o que fazer. Todo santo dia eu chorava. Pode parecer exagero, mas só quem tem um filho que não come, sabe do que estou falando e como isso deixa uma mãe muito mal. Me peguei analisando e reanalisado os meus passos até aqui. Em que  o momento errei? O que eu fiz ou deixei de fazer? Ah, e as pessoas... As pessoas te culpam, te falam coisas absurdas. E vc precisa aprender a lidar com isso também, pois, depois que vc se torna mãe, o que as pessoas mais fazem é te julgar.

Gastei uma graninha levando em pediatra famosinho, mas não adiantou nada. Tentei por na escolinha... Vendo outras crianças, vai que ele decide comer tb. Não adiantou de novo, muito pelo contrário.

Como falei em um post passado, o Heitor começou a aceitar comida aos poucos. E há mais ou menos um mês, ele começou a comer de verdade. Não é como sonhei: É sentadinho no meu colo, a comida tem que ser amassada, dou na boquinha... Mas come, ele come. A impressão que tenho é que comecei tudo de novo. Um ano nesse processo, mas só agora a coisa andou. Fisicamente, ele já está outro menino. A cor não está mais amarelada, o cabelo deu um "bum", o rostinho já tem outra aparência. Sem falar que tem muito mais energia, brinca mais, corre mais, sorri mais e vive fazendo gracinhas. Uma criança bem nutrida é tudo nessa vida, gente. Como faz diferença. Não estou falando de peso ou altura, mas sim de uma boa nutrição.

O que eu concluo com tudo isso é: Tudo tem seu tempo e nada está sob o nosso controle. Aliás, é muito difícil lidar com essa falta de controle na maternidade. Antes minha vida estava na palma da minha mão... Eu fazia e acontecia. Agora, eu tenho que torcer para as coisas acontecerem e torcer mais ainda não para não se frustrar muito caso não aconteçam. Enfim, os filhos chegam para ensinar muitas coisas aos pais. Inúmeras lições que já que aprendi nesses quase 19 meses. É difícil, mas dia após dias, vamos superando os desafios. ♥


2 comentários:

  1. Oie, é muito difícil mesmo, um caminho árduo as vezes, rs.
    Aqui a Helena aceita de tudo,mas come feito um passarinho, já me desesperei muitas vezes tbem, mas penso que a tendência é melhorar, tento ser otimista, RS.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só nos resta ser otimistas mesmo, Carol. As vezes não temos saída... hahaha

      Excluir